Eduardo Almeida, um globetrotter de Alenquer

O treinador do Melaka FC, da Malásia, é o novo convidado do "Treinadores portugueses pelo mundo". Eduardo Almeida conta algumas histórias das passagens por Hong Kong, Tanzânia, Laos e Hungria.

Com o chamamento para a reza lá ao fundo, Eduardo Almeida atendeu o telefone da TSF para contar a sua aventura pelo mundo do futebol. Literalmente: o treinador português de 39 anos, natural de Alenquer, passou por Hong Kong, Tanzânia, Malásia, Hungria, Laos e agora Malásia novamente -- está ao serviço do Melaka FC. Este é mais um episódio da rubrica "Treinadores portugueses pelo mundo", um programa conduzido por Ricardo Oliveira Duarte, que vai para o ar às segundas-feiras, depois das 18h30.

Esta história mete voodoo, estradas sem fim, uma candidatura pela Internet para um clube africano e... um filho de dois meses que ainda é malaio, pois ainda não foi registado em Portugal.

"São algumas aventuras já. Sempre tive oportunidade de ir na busca das aventuras, para fazer o que mais gosto. A primeira foi em Hong Kong, como adjunto do Zé Luís. Correu bastante bem. Acabámos por ser campeões e ganhar uma Taça", conta.

Seguiu-se África: Tanzânia. "A seleção não tem grande tradição, mas o futebol é pura paixão na Tanzânia. Os clubes grandes enchem os estádios, a seleção enche os estádios. Há muita gente e gosta-se muito de futebol. É o escape da maioria das pessoas..."

Todas as experiências acumuladas mudaram este homem. "Estou bastante diferente. Vi realidades opostas, vi coisas que não esperava ver. Acho que estou preparado para tudo, vivi e vi de tudo. Claro que temos sempre de aprender, mas em termos de vivência, cultural e social, foi marcante. Ficamos mais maduros, com mais bagagem."

E voltar a Portugal, Eduardo? "Não é obsessão, mas vejo com bons olhos. Não tenho tido oportunidades. Vão surgindo fora, noutras ligas. Eu tenho de fazer o que mais gosto, ser feliz onde quer que seja. Treino fora sem qualquer problema, adoro. Não gosto de estar muito tempo no mesmo sitio."

Antes destas aventuras no estrangeiro, Eduardo Almeida passou pela formação de vários clubes como Alenquer e Benfica, Benfica, Almeirim, Cacém e Estrela da Amadora, conta o zerozero. Depois de experiências como adjunto de Real de Massamá e Naval, chegaram os desafios como líder das equipas técnicas. Em Portugal Almeida representou clubes como o Olímpico Montijo, Atlético Reguengos, Pinhalnovense e Angrense. Mas sempre, sempre, com o passaporte à mão...

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados