Estrela da Amadora recupera o tempo perdido: "Até árvores nas bancadas estavam a crescer"

A TSF esteve na Reboleira, no concelho da Amadora, a acompanhar os preparativos do Club Football Estrela, que recebe o Benfica, a contar para a Taça de Portugal. Fundado em 1932, renascido em 2020, o Estrela da Amadora está preparado para eliminar o Benfica da Taça de Portugal.

É já noite cerrada na Avenida Dr. José Pontes. É uma das avenidas junto ao Estádio José Gomes, na Reboleira. Está carregada de adeptos. Lançam fumos, petardos, tochas, cantam, batem palmas em uníssono. É a claque do Estrela: a Magia Tricolor. "Eles são completamente malucos", atira Marco Ferreira, diretor executivo do clube.

"Estamos a falar de um clube do Campeonato de Portugal", sublinha o diretor, classificando como "única" a claque. "Ainda quando fizemos a vigem para jogar com o Sporting B, acompanharam-nos, pararam por cima de todos os viadutos com tochas. Isto é marcante, não existe", acrescenta em declarações à TSF.

É aquilo que o Benfica pode esperar esta terça-feira na Reboleira. Muito apoio ao Estrela, apesar dos adeptos não poderem ir para as bancadas. Mesmo assim, não há treino, muito menos jogo, em que a Magia Tricolor não acompanhe a equipa com apoio seja de que natureza for.

É por trás de uma das balizas do "velhinho", mas renovado, Estádio José Gomes que os adeptos ficam. Marco Ferreira conduz-nos, agora, numa viagem pelo estádio.

"Antes de cada jogo, vêm elementos da claque Magia Tricolor a esta bancada de topo, junto ao Bingo, montar todas as tarjas de apoio. Esta bancada é deles e a verdade é que os jogadores sentem esse apoio", explica o diretor executivo.

Em vez de adeptos, as bancadas estão preenchidas apenas por cadeiras. As cores ainda são as mesmas. Ainda se vê o vermelho, o verde e o branco. Por cima delas, tarjas de publicidade: "Como não há público, em todas as bancadas, por cima das cadeiras, vão estar tarjas com publicidade. É assim que o clube tem sobrevivido. Ali em cima [aponta para uma das bancadas centrais] vai estar um símbolo da Amadora, ali mais publicidade [enumera os inúmeros patrocínios], aqui a Câmara Municipal, conseguimos cobrir todas as bancadas com publicidade".

"Estes homens não têm parado um minuto." É um trabalho que não é apenas de agora. Começa logo que a nova direção, liderada por André Geraldes, toma posse. "Reformulamos toda a zona de imprensa, há possibilidade de ligação por cabo, internet, possibilidade de ligação de várias fichas, colocamos plataformas TV, tivemos de limpar todo o estádio, a tribuna presidencial é completamente nova", descreve Marco Ferreira. Por falar em tribuna, ela já não é atrás de uma baliza. Agora, situa-se na bancada central.

Vamos pisar o relvado. Marco Ferreira aponta para o tapete verde: "Tínhamos um relvado absolutamente lastimável, nem para terceira divisão distrital devia ser permitido." Hoje, o Estádio José Gomes tem um relvado novo e completamente cuidado nos últimos dias para receber o Benfica. "Está pronto para o jogo da Taça de Portugal", garante o diretor.

Os responsáveis do Estrela orgulham-se de dar as melhores condições a um estádio que estava completamente ao abandono: "Só para ter uma ideia, já havia sítios nas bancadas onde cresciam árvores e plantas, já nem parecia um estádio."

Hoje, o diretor executivo dos tricolores orgulha-se do trabalho feito: "Neste momento, temos uma estrutura altamente profissional ao nível de Primeira Liga e não temos medo de o dizer, porque é verdade. Basta estar aqui um dia ou dois, basta ver-nos trabalhar, e vão perceber que este clube é muito grande e está a trabalhar como os grandes."

Depois de eliminar o Farense, os tricolores garantem que o objetivo é deixar também pelo caminho o Benfica. O jogo tem relato na TSF e acompanhamento ao minuto em tsf.pt.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de