Governo francês aponta o dedo à Rússia por deixar passar 'hooligans'

O ministro francês dos Desportos lamenta a "ausência de cooperação" da Rússia, acusando-a de ter permitido a viagem de 'hooligans' implicados nos atos de violência em Marselha, durante o Euro2016.

"Há 150 a 200 'hooligans' russos que devem ser impedidos de causar estragos", afirmou Kanner à AFP, acrescentando que as autoridades russas e em primeiro lugar a federação "deviam reagir". Na sua opinião, esta era "uma questão de prevenção acima de tudo", pelo que "certos vistos jamais poderiam ter sido atribuídos".

Já na rede social Twitter, Patrick Kanner agradece a colaboração dos "amigos" ingleses que impediram a viagem a 3000 hooligans e pede "aos russos que façam o mesmo".

Confrontos entre adeptos ingleses, russos e franceses e com a polícia, à margem do jogo Inglaterra-Rússia de sábado, provocaram 35 feridos, dos quais quatro em estado grave, e diversas detenções, mas nenhuma de adeptos russos.

Hoje, o tribunal correcional de Marselha aplicou penas de prisão efetiva a vários envolvidos, nomeadamente um francês e vários ingleses.

Segundo o governante, a segurança vai ser reforçada no próximo jogo da Rússia, contra a Eslováqia, na quarta-feira, em Lille.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de