Ewan estreia-se a vencer no Tour e Alaphilippe segue de amarelo

Julian Alaphilippe continua de camisola amarela na Volta a França.

O ciclista australiano Caleb Ewan (Lotto-Soudal) completou, esta quarta-feira, o ciclo de triunfos nas grandes voltas, ao vencer na 11.ª etapa da Volta a França, que continua a ser liderada pelo francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep).

Na sua estreia no Tour, e após três terceiros lugares e um segundo, Ewan, que já tinha vencido no Giro e na Vuelta, ganhou finalmente uma etapa, ao impôr-se por escassos centímetros ao holandês Dylan Groenewegen (Jumbo-Visma) na chegada a Toulouse, 167 quilómetros após a partida de Albi.

"Não consigo acreditar. Fiquei tão perto nos últimos quatro sprints. Mas nunca perdi a fé em mim e nunca perdi a fé na minha equipa. Sabia que tudo se estava a compor e que podia ser o mais rápido na etapa", disse Ewan.

O australiano cortou a meta em 3:51.26 horas, o mesmo tempo de Groenewegen e do italiano Elia Viviani (Deceuninck-QuickStep), terceiro na etapa, tornando-se o 10.º vencedor diferente em 10 etapas - a outra tirada foi um contrarrelógio por equipas - algo que não acontecia desde 1996.

"Isto era um sonho de criança. Não havia outra corrida em que eu quisesse ganhar em criança. O Tour é algo tão distante da Austrália, algo que apenas víamos na TV. É fantástico", referiu.

A classificação geral continua a ser liderada por Alaphilippe, que tem 1.12 minutos de avanço sobre o britânico Geraint Thomas, vencedor em 2018, e 1.16 sobre o colombiano Egan Bernal, ambos da INEOS.

A etapa ficou marcada por uma longa fuga de quatro ciclistas - Anthony Perez e Stéphane Rossetto (Cofidis), Lilian Calmejane (Direct Energie) e Aimé De Gendt (Wanty-Groupe Gobert) -, mas que nunca tiveram mais de 3.30 minutos.

Sempre controlados pelo pelotão, os fugitivos acabaram por ser apanhados, de pouco valendo o esforço final de Aimé De Gendt, que levou a fuga até aos cinco quilómetros finais.

A primeira etapa após o dia de descanso foi calma para quase todos os favoritos, com o colombiano Nairo Quintana (Movistar) e o australiano Richie Porte (Trek-Segafredo) a serem afetados por uma fuga à entrada dos 30 quilómetros finais, mas a terminarem no pelotão.

Antigo camisola amarela, o italiano Giulio Ciccone despediu-se definitivamente do 'top-10', ao terminar a 12.03 minutos de Ewan.

Os portugueses em prova voltaram a perder tempo, com Rui Costa (UAE-Emirates) a ser 55.º, a 38.04, Nelson Oliveira (Movistar) a estar na 92.ª posição, a 1:06.51 horas, e José Gonçalves a ocupar o 131.º lugar, a 1:28.34.

A 12.ª etapa, que se corre na quinta-feira, liga Toulouse a Bagnères-de-Bigorre, num percurso de 209,5 quilómetros, que terá três contagens de montanha, duas de primeira categoria, já na segunda metade da tirada.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de