Benfica: família de fanáticos, as dificuldades com o peso e o crescimento de Enzo Fernández

O reforço do Benfica quer permancer na Argentina até ao final da aventura do clube de Buenos Aires na Taça Libertadores. Na TSF, Daniel Moreyra treinador dos escalões de formação dos "milionários" explica que o médio está a viver um sonho, ele que nasceu numa família de adeptos do River.

Na forma como pisa o relvado, Enzo Fernández parece um veterano aos 21 anos de idade, considera do treinador dos escalões de formação do River Plata Daniel Moreyra. Para quem viu o atleta crescer ao longo da última década, a evolução física e tática do jogador é evidente, mas antes do salto para a Europa, há uma oportunidade de carreira a respeitar, indica o treinador. Enzo Fernandez quer vencer algo importante para agradecer ao River Plate o papel que teve na sua vida, uma dívida que até pode beneficiar o clube que o vai receber na Europa, o Benfica.

"Na minha opinião, Enzo precisa de um pouco mais de tempo na Argentina, talvez meio campeonato para consolidar alguns pormenores. Mas já é muito completo, seja no remate, seja na leitura de jogo, da forma como sabe receber em qualquer setor e encontrar a melhor solução. Parece um jogador de 30 anos. Com maior número de jogos, com mais jogos também a nível internacional, e por isso digo que é importante para ele jogar esta Libertadores, tem tudo para triunfar na Europa", sustenta Daniel Moreyra.

Daniel Moreyra é treinador dos escalões de formação do River Plate. Natural, tal como o jogador, de San Martin, arredores de Buenos Aires, explica na TSF a vontade do médio em ficar em Buenos Aires até final da Taça Libertadores. "Não trabalhei diretamente com Enzo, mas conheço-o desde pequeno, até porque somos da mesma região. Desde muito jovem, a cada ano foi acrescentando coisas ao seu jogo, a cada ano se mostrava mais completo. Começou aos 10 anos no River como médio centro, como único médio. Jogou depois pela direita, variando com as opções. Nos últimos tempos, na 3ª divisão pela equipa de reservas, já aparecia como hoje, na mesma posição".

Desse trajeto, os responsáveis pela formação do River Plate notam um crescimento sustentado. "Cresceu muito na leitura de jogo, na tomada de decisão, pela maturidade. Para quem o pode ver jogar e treinar desde há anos, como nós, parece um jogador de 28 ou 30 anos. Pela inteligência com que conduz, pela forma como corre pelo campo, pelos espaços que ocupa. Está a produzir como um jogador de 28 ou 30 anos tendo ainda 21", aponta Daniel Moreyra.

River como algo familiar

É difícil compreender a vontade do médio em continuar na Argentina tendo já acordo para vir para a Europa e para o Benfica. Daniel Moreyra explica como pensa o jogador, que deve o nome próprio ao de Enzo Francescoli, ídolo do clube de Nuñez, atual presidente do River. "Enzo e a família dele são adeptos fanáticos do River Plate, e isto começou antes mesmo do jogador chegar ao River. Em segundo lugar, Enzo formou-se como jogador e como pessoa no River. Foi ali que conheceu os amigos de hoje, andou no colégio do River. Tem um grande apego ao clube (...) a prioridade para ele é ganhar algo importante aqui. Hoje, o sonho que se está a construir no River é essa possibilidade de vencer a Libertadores. Enzo quer sentir-se protagonista nesta taça, e depois sair mais tranquilo, com o sensação de tarefa cumprida antes de ir para o exterior".

O crescimento do atleta durante dos anos de formação no River Plate não deixa ninguém da estrutura do clube indiferente. "Melhorou imenso na capacidade física. Esse era provavelmente o ponto onde na formação sempre se mostrou mais frágil. Mas nos últimos dois ou três anos ajustou a condição física, encontrou um ponto de equilíbrio. Quando mais jovem, tinha dificuldade em manter o peso, mas com um plano, com treino, com a forma de trabalhar, melhorando a condição física acabou por melhorar tudo como futebolista".

"Fala-se muito da possibilidade de Enzo Fernández ser opção para a seleção principal no campeonato do mundo de futebol. Na minha opinião, ele será solução no próximo ciclo, nas primeiras convocatórias após a competição. Teve uma evolução fenomenal nas provas internas, faz muita diferença no futebol argentino. Como foi tudo muito repentino, não sei se vai entrar já neste ciclo. Há que pensar nos resultados que Scaloni está a conseguir com os jogadores atuais. Mas claro, se for chamado, fantástico. Após o mundial vai estar com certeza na seleção".

A oportunidade de jogar na Europa pode ajudar a sustentar o crescimento do médio. "Sempre se adaptou facilmente a diferentes distribuições táticas. Já jogou como médio centro - tradicional "5" argentino, volante - mas também como interior (...) Já sabemos que podem acontecer muitas coisas a um jogador quando se vê num outro contexto, num outro país. Penso que depois de um período de adaptação, tem tudo para se destacar", aponta do técnico dos escalões de formação do River.

"Não deixa de ser um jogador em formação. Muitas vezes no futebol há muita pressa, mais ainda quando um jogador surge desta forma. Mas há que ter noção que continua a ser um jovem, que tem muito que aprender ainda. Há que ter paciência, não apressar demasiado as coisas. Não nos podemos confundir, Enzo tem 21 anos, não 30", lembra Daniel Moreyra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de