Eixo Taremi-Evanilson liga FC Porto aos três pontos no dérbi da Invicta

Veja os golos. Dragões somam 26 pontos e ficam à espera dos resultados de Benfica e Sporting.

O FC Porto venceu, este sábado, o Boavista por 4-1 num jogo em que o brasileiro Evanilson bisou com duas assistências de Taremi. Antes, já Luis Díaz tinha marcado o primeiro da tarde no estádio do Dragão. Hamache, com um autêntico torpedo, fez o único golo axadrezado e Loader, em estreia pelos portistas, fez o quarto e último da noite portista.

Com esta vitória, os dragões somam 26 pontos e lideram, à condição, a tabela da Primeira Liga. Num dia marcado pela morte de Tengarrinha, antigo jogador do Boavista que teve de interromper a carreira devido ao diagnóstico de um linfoma de Hodgkin, o estádio do Dragão dedicou-lhe um minuto de homenagem antes do arranque da partida.

O FC Porto mostrou desde muito cedo com que argumentos chegava ao jogo. Com um Luis Díaz irrequieto - o que já não é novidade - e Taremi a travar um duelo com o compatriota Alireza, foi valendo a exibição do guardião axadrezado. Em dez minutos, e do alto dos seus 1,94 metros, não estava ali para fazer figura de corpo presente.

E a vida não demoraria a complicar-se para o Boavista. Reggie Cannon foi parado por Uribe num lance em que toda a equipa boavisteira ficou a pedir falta e não resistiu à pancada sofrida na perna esquerda. Pedro Malheiro rendeu-o. E porque um mal nunca vem só... Chegou o golo.

Otávio abriu espaço à direita, deu a bola a João Mário e o jovem portista tirou um cruzamento teleguiado para a cabeça de Luis Díaz (21'). Alireza nem se mexeu. No minuto seguinte pediu-se penálti sobre Evanilson, mas vistas as imagens pelo VAR, Tiago Martins mandou seguir.

Quem também deu ordem de seguimento, neste caso à bola, foi Hamache. O lateral francês de 22 anos encheu-se de força e, do meio da rua, soltou um remate tenso que só parou no fundo das redes de Diogo Costa (30'). Cinco minutos depois, o guarda-redes evitaria mesmo o golo da reviravolta.

Mas os erros pagam-se caros. Malheiro perdeu a bola no meio-campo boavisteiro e Taremi apoderou-se dela. Viu Evanilson a desmarcar-se, colocou-lhe a bola em profundidade e o brasileiro fez o resto, que é como quem diz, o 2-1.

E quem dá, recebeu logo de seguida. Ou melhor, receberia, não estivesse em fora de jogo. O iraniano surgiu desmarcado sobre o corredor central e, talvez a estranhar a facilidade, desviou a bola para a direção da baliza e esta entrou. Mas não valeu e chegou o intervalo.

Aos 46', com poucos segundos da segunda parte, Evanilson voltou a desmarcar-se pelo corredor central e, perante Alireza, rematou em força para o bis.

Aos 70', e depois de novo pedido de penálti no estádio do Dragão, Sérgio Conceição não quis ver mais. "Não vale a pena", dizia o técnico, filmado pelas televisões no local. Já amarelado, Taremi saía para dar o lugar a Francisco Conceição.

A tarde seria ainda marcada por uma estreia: Loader entrou para o lugar de Evanílson aos 83' e jogou pela primeira vez na equipa principal azul e branca. Não podia ter corrido melhor: aproveitou um cruzamento a partir da esquerda saído dos pés de Marcano e, de calcanhar, fez o 4-1 final.

Onze do FC Porto: Diogo Costa, João Mário, Pepe, Zaidu, Marcano, Uribe, Vitinha, Otávio, Luis Díaz, Evanílson e Taremi

Onze do Boavista: Alireza; Nathan, Javi García e Rodrigo Abascal; Reggie Cannon, Makouta, Reymão e Hamache; Gorré, Musa e Sauer

O jogo é arbitrado por Tiago Martins, assistido por Pedro Mota e Hugo Ribeiro. No VAR está Nuno Almeida.

Suplentes do FC Porto: Marchesín, Fábio Cardoso, Francisco Conceição, Pepê, Grujic, Manafá, Sérgio Oliveira, Loader e Fábio Vieira

Suplentes do Boavista: Bracali; Guito, Filipe Ferreira, Pedro Malheiro, Vukotic, Sebástian Pérez, Yusupha, Ntep e Tiago Morais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de