Marchesín vale milhões. FC Porto empata com City e assegura oitavos da Liga dos Campeões

O FC Porto consegue o empate, o segundo lugar do grupo e os vários milhões de euros da UEFA.

O FC Porto precisava de apenas um ponto para assegurar a próxima fase da Liga dos Campeões, e foi o que aconteceu. No Estádio do Dragão, os portistas receberam o Manchester City e nunca saíram do nulo, muito graças a Marchesín. O guarda-redes do FC Porto esteve muito seguro na baliza, com uma mão cheia de grandes defesas.

No final de contas, foi um jogo "pobre" que serviu o interesse das duas equipas. O Manchester City já tinha assegurado a passagem aos oitavos-de-final.

Antes do apito inicial, um momento de "pausa e reflexão contra o racismo", com muitos jogadores com o joelho no relvado.

O FC Porto jogou num esquema com três centrais, com Mbemba, Sarr e Diogo Leite no centro da defesa. A revelar-se precioso para o resultado final.

O Manchester City entrou a pressionar a defesa portista. Nota positiva para Sarr e Diogo Leite que afastaram, de cabeça, o perigo dos ingleses.

O primeiro pontapé de canto foi para o Manchester City, mas teve selo português. João Cancelo cruzou, mas a bola caiu no lado contrário e deu novo canto para os ingleses.

O FC Porto mostrava muitas dificuldades nos minutos iniciais, a não conseguir contrariar a superioridade individual do Manchester City.

Primeiro lance ofensivo do FC Porto surgiu numa combinação de Zaidu com Tecatito Corona. Ainda assim, a defesa inglesa afastou o perigo.

Choque de Otávio com Ederson Morais. Os jogadores portistas ficam a pedir penálti, mas Björn Kuipers mandou jogar.

O FC Porto foi crescendo no jogo e ficou mesmo perto do golo. Zaidu cruzou e valeu Ederson a afastar o remate de cabeça de Diogo Leite. No contra-ataque, foi Marchesín a evitar o golo de Ferrán Torres. O lancei foi, no entanto, invalidado por fora de jogo.

Com meia hora de jogo e, apesar das ameaças, ainda não havia qualquer remate à baliza. Nem do FC Porto, nem do Manchester City.

Os ingleses construíram uma nova jogada de perigo, antes do intervalo. Ferrán Torres colocou em arco para Sterling, mas valeu o grande corte de Zaidu.

Tudo a zeros no Dragão em tempo de intervalo.

A segunda parte começou tal como a primeira, com o Manchester City num registo de posse de bola.

O FC Porto ia conseguindo bons lances de contra-ataque, a seguir em grande velocidade para a área do Manchester City.

O primeiro cartão amarelo foi aos 52 minutos. Björn Kuipers foi ao bolso para advertir o jogador do Manchester City Rodri.

Muito mérito para Marchesín. O Manchester City já ia lançado para o golo, depois de Sarr deixar fugir Sterling, mas o guarda-redes do FC Porto mostrou os punhos à bola e evitou o golo do inglês. Ferran Torres ainda tentou a recarga, mas Mbemba chegou primeiro à bola.

Sérgio Conceição foi o primeiro treinador a mexer no jogo. O técnico portista tirou Corona e lançou Luis Díaz para atacar a baliza de Ederson.

Marchesín ia mostrando, novamente, que é um valor seguro no plantel do FC Porto. Grande defesa do guarda-redes do portista a evitar o golo do Manchester City em cima da linha de golo.

Só o Manchester City conseguia atacar na fase final da partida. Bernardo Silva passou por dois, correu em direção a Marchesín, mas o guarda-redes do FC Porto evitou o golo, mais uma vez.

Aos 80 minutos, Gabriel Jesus cabeceou à trave, mas na recarga o brasileiro festejou mesmo o golo. No entanto, a equipa de arbitragem recorreu ao videoárbitro e anulou o golo por fora de jogo de Bernardo Silva.

O FC Porto assegura o empate e, consequentemente, o segundo lugar do grupo. Os portistas já chegaram aos 'oitavos' 11 vezes (2003/04, 2004/05, 2006/07 a 2009/10, 2012/13, 2014/15 e 2016/17 a 2018/19), falhando apenas em quatro ocasiões (2005/06, 2011/12, 2013/14 e 2015/16).

Onze do FC Porto: Marchesín, Manafá, Mbemba, Sarr, Zaidu, Diogo Leite, Sérgio Oliveira, Uribe, Tecatito, Otávio, Marega.

Onze do Manchester City: Ederson, João Cancelo, Rúben Dias, Eric García, Zinchenko, Rodri, Fernandinho, Bernardo Silva, Phil Foden, Sterling, e Ferrán Torres.

Suplentes do FC Porto: Diogo Costa, Cláudio Ramos, Luis Díaz, Taremi, Nakajima, Romário Baró, João Mário, Felipe Anderson, Toni Martínez, Evanilson, Nanu e Fábio Vieira.

Suplentes do Manchester City: Steffen, Carson, Walker, Stones, Ake, Gundogan, Jesus, Laporte, De Bruyne, Mendy, Mahrez, Doyle.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de