De cabeça e de chapéu para o título. FC Porto vence Sporting e é campeão nacional

O capitão Danilo Pereira e Marega marcaram os golo que garantiram a vitória dos dragões e o seu 29.º título de campeão nacional. Veja os golos.

Uma cabeçada de Danilo e um chapéu de Marega foram suficientes para o FC Porto vencer o Sporting, no primeiro clássico à porta fechada, e garantir o seu 29.º título de campeão nacional. O Sporting entrou forte, mas o coração e a experiência fizeram a diferença. Sérgio Conceição festeja o seu segundo título no Dragão.

O champagne estava no frigorífico e as faixas preparadas. A festa já se fazia sentir nos momentos que antecederam o clássico entre FC Porto e Sporting, o jogo decisivo do campeonato. Os dragões só tinham de pontuar para celebrarem o segundo campeonato em três anos de Sérgio Conceição a orientar a equipa azul e branca.

Para este jogo, ambas as equipas reservaram várias surpresas. Do lado dos azuis e brancos, Sérgio Conceição fez quatro alterações na formação inicial, apostando em Danilo, Loum, Fábio Vieira e Luis Díaz, saindo Sérgio Oliveira, Uribe, Corona e Soares.

Já do lado leonino, Rúben Amorim sabia que não podia contar com o castigado Marcus Acuña, que o substituiu por Borja. Em relação ao último jogo, houve também uma alteração no meio campo - Matheus Nunes rendeu Doumbia.

E o Sporting não perdeu tempo em colocar os dragões em sentido. Na primeira jogada do encontro, Nuno Mendes isolou-se pela esquerda e, depois de ressaltos na área, Sporar consegue colocar a bola no fundo das redes de Marchesín.

Na análise do VAR, o golo foi anulado por fora-de-jogo do avançado leonino. Emoção a abrir o clássico.

O Sporting começou o encontro mais perigoso que o dragão. Depois da primeira investida do FC Porto no ataque, Sporar conseguiu soltar-se da marcação e apenas Mbemba conseguiu salvar os azuis e brancos, cortando a bola para canto já dentro da grande área.

Os dragões conquistaram logo a seguir a posse de bola e chegaram-se à baliza de Maximiano com perigo. Aos 11 minutos, Luis Díaz surgiu sozinho na grande área e, depois de uma defesa incompleta de Max, o colombiano conseguiu colocar a bola na baliza do Sporting.

No entanto, o avançado do FC Porto controlou o esférico com a mão e o golo foi prontamente anulado pela equipa de arbitragem liderado por João Pinheiro.

A partir daqui, o FC Porto instalou-se no meio campo da equipa de Rúben Amorim. Elementos como Eduardo Quaresma mostravam alguma insegurança na zona mais recuada, cedendo à pressão exercida pelos jogadores do FC Porto.

Aos 23 minutos, os dragões tiveram muito perto de inaugurar o marcador. Num canto estudada do lado direito, a bola foi parar aos pés do jovem Fábio Vieira, que serve Luis Díaz. O colombiano, dentro da área, troca as voltas à defesa leonina e, num remate colocado, Coates salva em cima da linha de golo.

Na resposta, o Sporting voltou ao ataque e conquistou um canto. Na sequência do lance de bola parada, Jovane Cabral antecipou-se a Manafá e cabeceou sem oposição por cima da barra de Marchesín.

Antes do intervalo, o Sporting ainda beneficiou de um livre, junto à área do FC Porto. Jovane rematou contra a barreira, mas com perigo. Na resposta, Luis Díaz aproveitou a insegurança do menino Quaresma e cruzou para Marega. Na área, o maliano não conseguiu superiorizar-se à defesa leonina.

Da cabeçada ao chapéu. Os golos que carimbaram o título

A segunda parte começou com uma nova oportunidade para o Dragão. Otávio aproveitou o espaço e, num cruzamento-remate, assustou Maximiano.

O jogo este depois com um ritmo mais lento e, do nada, o FC Porto teve marcou. Num primeiro lance, o miúdo Fábio Vieira atirou um remate à trave.

Logo a seguir, canto de Alex Telles e Danilo consegue cabecear sem hipótese para Maximiano, abrindo marcador no Dragão. Sem público nas bancadas, o banco dos Dragões explodiu de alegria.

O Sporting foi à procura da resposta, mas a experiência portistas face à juventude leonina fez a diferença.

Aos 90 minutos, Marega quis deixar a marca na festa e foi isso que fez. Otavio viu a desmarcação e o avançado maliano picou a bola por cima de Maximiano para o golo da noite. O título já não fugiu.

Onze do FC Porto: Marchesín; Manafá, Mbemba, Pepe e Alex Telles; Danilo, Loum e Otávio; Fábio Vieira, Marega e Luis Díaz.

Suplentes: Diogo Costa, Diogo Leite, Tomás Esteves, Romário Baró, Zé Luís, Soares, Fábio Silva, João Mário e Vítor Ferreira.

Onze do Sporting: Maximiano; Eduardo Quaresma, Coates, Borja; Ristovski, Wendel, Matheus Nunes, Nuno Mendes; Jovane, Plata, Sporar.

Suplentes: Renan, Rafael Camacho, Luís Neto, Battaglia, Francisco Geraldes, Tiago Tomás, Gonçalo Inácio, Joelson e Doumbia.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de