Fernando Santos admite gerir jogadores para o Sporting - Benfica

O selecionador nacional não fica insensível ao dérbi de sábado entre Sporting e Benfica. Sem colocar em causa os interesses de Portugal, admitiu que fará a necessária gestão. O Luxemburgo pode trazer mais-valias chamadas ambição e responsabilidade.

Fernando Santos não esconde que está sensível à forma como terá de gerir alguns jogadores que irão participar no jogo de sábado em Alvalade. Rui Patrício, William Carvalho e João Mário pelo Sporting, Gonçalo Guedes e Eliseu pelo Benfica, serão em condições normais, titulares nas suas equipas. O selecionador nacional sabe o que tem de fazer.

"A seleção não está dependente do que irá acontecer no próximo fim de semana. Quando se vai à seleção, é para se estar na seleção e para jogar pela seleção. Obviamente que principalmente nesta fase, em que estamos a uma fase considerável do campeonato da Europa, o treinador terá em atenção a gestão dos jogadores. Irei ter em atenção a gestão do esforço dos jogadores, e essa foi uma razão pela qual não fiz tantas substituições no jogo da Rússia".

A gestão não ficou facilitada pela alteração do palco do jogo com os Russos. Inicialmente estava previsto que fosse em Londres, e acabou por ser transferido para a cidade de Krasnodar, com todos os inconvenientes inerentes a uma viagem longa. Foi durante parte desta justificação que Fernando Santos deixou escapar que na base da decisão poderão ter estado razões de segurança.

"Por circunstâncias que nos passaram ao lado, mas que infelizmente se confirmaram de forma drástica este fim de semana, podem ter estado as razões por que eventualmente não teremos jogado em Londres", afirmou.

Este jogo no Luxemburgo, pouca importância terá para a definição dos 23 convocados para o Euro 2016, para o qual haverá já uma base construída, mas pode servir para retirar ilações sobre outras coisas na equipa.

"Pode trazer-nos muitas coisas positivas, e a primeira delas é o nível da responsabilidade. Os jogadores sabem que para mim não há adversários mais fortes e mais fracos, há apenas adversários que temos de respeitar, cada um com as suas características. É necessários testar também os nossos índices de mentalidade, de força e de caráter. Para mim o jogo com a Rússia teve o mesmo significado que tem este com o Luxemburgo", sublinhou o selecionador nacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de