Fernando Santos e a FPF negam quaisquer dívidas à Autoridade Tributária

Fernando Santos, o selecionador nacional, nega que tenha dívidas com o Fisco. O desmentido surgiu durante a madrugada num comunicado em conjunto com a Federação Portuguesa de Futebol.

Foi desta forma que a FPF e o selecionador reagiram à notícia do Expresso, que avança que a Autoridade Tributária reclama ao treinador o pagamento de 4,5 milhões de euros. Mas Fernando Santos, explica que já pagou os valores reclamados pela Autoridade Tributária, e agora espera ser reembolsado no final do processo que decorre em tribunal arbitral.

Ou seja, segundo a informação do comunicado, o processo que decorre no Tribunal Arbitral foi interposto pelo selecionador nacional já depois de ter liquidado os valores reclamados pela Autoridade Tributária, aguardando agora Fernando Santos o desfecho do processo.

Pode-se ler na nota tornada pública ao início da madrugada desta sexta-feira, que "sem prejuízo da reserva que legitimamente pretendem preservar, impõe-se clarificar que as liquidações promovidas pela Autoridade Tributária foram integral e prontamente pagas, incluindo os pertinentes juros compensatórios, pelo que o Eng. Fernando Santos não só não deve um único cêntimo à Autoridade Tributária como nunca deixou de ter a sua situação fiscal regularizada nos termos da lei", refere o comunicado da FPF e do treinador.

Assim, "em caso de provimento do pedido arbitral, conforme se confia plenamente, caberá o direito ao reembolso integral das importâncias pagas", conclui o comunicado, onde o selecionador e a instituição lamentam "a violação grosseira e manifestamente truncada do direito ao sigilo fiscal que assiste a todos os contribuintes", acrescenta o comunicado.

O semanário Expresso avança que a Autoridade Tributária pediu a Fernando Santos para pagar uma dívida de 4,5 milhões de euros que tinha perante o Fisco. Em causa, escreve o semanário, está a forma como o treinador recebe o salário da Federação Portuguesa de Futebol.

Durante 2016 e 2017, Fernando Santos terá recebido, através de uma empresa denominada Femacosa, 10 milhões de euros da FPF, mas tendo declarado um IRS sobre um salário anual de 70 mil euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de