Festejos do título, Benfica-Sporting, Taça de Portugal, Champions. O que diz o Governo?

Quem esteve presente nos festejos do Sporting deve estar atento a sintomas, monitorizar a sua situação de saúde, fazer autotestes e comunicar qualquer sintoma ao SNS24.

O Governo pede "autocontrolo" a quem esteve nos festejos da conquista do campeonato por parte do Sporting sem cumprir regras. Devem estar atentos a sintomas, monitorizar a sua situação de saúde, fazer autotestes e comunicar qualquer sintoma ao SNS24.

"Se bastasse um evento, todas as definições de regras seriam mais fáceis. É preciso ter em conta vários critérios e houve um conjunto de regras que não foram cumpridas. Manter baixos níveis de incidência significa testar sempre que necessário", explicou Mariana Vieira da Silva.

Para a Taça de Portugal não há mudanças nos "procedimentos". O Governo não definiu, nem vai definir regras específicas e indica que há apenas um procedimento de trabalho que é feito através "do contacto com forças de segurança, autoridades de saúde e autarquias". Mas promete que "tiraremos enquanto país lições do que não correu bem".

Questionada sobre a presença de público nos estádios na última jornada da I Liga, Mariana Vieira da Silva esclarece que o plano de desconfinamento já previa a realização de grandes eventos, nomeadamente no mundo do futebol.

"Não teríamos outra oportunidade de realizar um evento teste no futebol que não fosse nesta última jornada", afirmou a ministra de Estado e da Presidência, acrescentando que não há definição de regras por parte do Governo sobre o jogo entre o Benfica e o Sporting, neste fim de semana.

Relativamente às coimas devido a ajuntamentos no espaço público, a ministra indicou que não há alterações neste campo. Mariana Vieira da Silva disse também que ainda não há informação sobre se Portugal vai incluir o Reino Unido na lista de países seguros para viajar.

Sobre a realização da final da Liga dos Campeões no Porto, a ministra disse que os adeptos estrangeiros que viajem até à cidade para assistir à final da competição europeia de futebol vão ficar menos de 24 horas em Portugal e serão todos testados à Covid-19.

"As pessoas que vierem à final da Liga dos Campeões virão e regressarão no mesmo dia, com teste feito, em situação de bolha, ou seja, em voos charter, com deslocações para uma zona de espera. Daí irão para o estádio e depois para o aeroporto, estando em território nacional menos de 24 horas, numa permanência em bolha e com testes obrigatórios, feitos, em princípio, antes de entrarem no avião", disse Mariana Vieira da Silva, em conferência de imprensa, no final da reunião do Conselho de Ministros.

A governante confirmou que o Estádio do Dragão poderá ter uma lotação máxima de 12 mil pessoas e que os lugares serão marcados e designados pela Direção-Geral da Saúde.

"Todos os bilhetes serão nominais e com lugares marcados", acrescentou Mariana Vieira da Silva.

A cidade do Porto vai acolher pela primeira vez uma final de uma competição europeia de clubes, depois de a UEFA ter anunciado esta quinta-feira a decisão.

A final 100% inglesa entre Manchester City, de Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva, e Chelsea, a 29 de maio, vai ter como pano de fundo o recinto do FC Porto, que esteve para ser o palco da Supertaça Europeia do ano passado, entretanto alterada para Budapeste, devido à pandemia de Covid-19.

A cidade do Porto e o Estádio do Dragão vão, assim, acolher a terceira final de uma Liga dos Campeões em Portugal e a segunda consecutiva, já que há pouco menos de um ano, precisamente por causa da crise mundial de saúde pública, a UEFA optou por realizar uma final a oito em Lisboa, nos estádios da Luz e José Alvalade.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de