FIFA e UEFA suspendem seleções e clubes russos de todas as competições

Exclusão das representações russas das competições europeias e mundiais foi decidida ao mais alto nível.

Os clubes e as seleções russas de futebol foram esta segunda-feira suspensas de todas as competições, por decisão conjunta da UEFA e da FIFA, devido à ofensiva militar do país na Ucrânia.

"Na sequência das decisões iniciais adotadas pelo Conselho da FIFA e pelo Comité Executivo da UEFA, que previa a adoção de medidas adicionais, a FIFA e a UEFA decidiram hoje em conjunto que todas as equipas russas, sejam seleções ou clubes, devem ser suspensas de participar nas competições da FIFA e da UEFA até nova ordem", lê-se no comunicado dos dois organismos que regem o futebol mundial e europeu.

A exclusão das representações russas das competições europeias e mundiais foi decidida ao mais alto nível, pelo "Bureau do Conselho da FIFA e pelo Comité Executivo da UEFA, os dois mais altos órgãos decisórios das duas instituições em assuntos tão urgentes".

"O futebol está totalmente unido e em total solidariedade com as pessoas afetadas na Ucrânia. Os dois presidentes esperam que a situação na Ucrânia melhore significativa e rapidamente, para que o futebol possa voltar a ser um vetor de união e paz entre os povos", remata o comunicado das estruturas presididas por Gianni Infantino e Aleksander Ceferin.

Esta decisão ocorre um dia depois de a FIFA ter cancelado a realização de jogos de futebol na Rússia, admitindo que as seleções do país jogassem em campo neutro, sem espetadores e sem hino, e sob a designação da sua federação nacional e não do país.

"Nenhuma competição internacional será disputada no território da Rússia, devendo as partidas 'em casa' ser jogadas em território neutro e sem espetadores", detalhou a FIFA em comunicado, no domingo.

Na ocasião, a FIFA dava conta do diálogo com a federação da Polónia, adversária da Rússia no play-off de qualificação para o Mundial 2022, e com as suas associações da República Checa e Suécia, possíveis adversárias na fase a eliminar, referindo ter "tomado nota das preocupações manifestadas".

A Rússia deveria enfrentar em Moscovo a Polónia numa das meias-finais, com o vencedor desse encontro a receber na final do play-off para o Mundial a seleção vencedora do jogo entre Suécia e República Checa, em embate que poderia ser novamente em território russo.

O jogo entre Rússia e Polónia está agendado para 24 de março e a final desse play-off, com o vencedor da Suécia-República Checa, em 29 do mesmo mês.

Antes, já o Comité Olímpico Internacional (COI) tinha pedido a todas as federações desportivas internacionais que cancelem ou mudem de local quaisquer competições planeadas para solo russo ou bielorrusso, e da UEFA ter transferido para Paris a final da Liga dos Campeões, prevista para São Petersburgo.

Na quinta-feira, a Rússia lançou uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já mataram mais de 350 civis, incluindo crianças, segundo Kiev. A ONU deu conta de mais de 100 mil deslocados e quase 500 mil refugiados na Polónia, Hungria, Moldova e Roménia.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa desmilitarizar o país vizinho e que era a única maneira de a Rússia se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário.

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional e a União Europeia e os Estados Unidos, entre outros, responderam com o envio de armas e munições para a Ucrânia e o reforço de sanções para isolar ainda mais Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de