Futuro do ciclismo "hipotecado" se a Volta a Portugal não sair para a estrada

A Federação Portuguesa de Ciclismo quer que a Volta decorra entre 27 de setembro a 05 de outubro.

O presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo considera fundamental que a Volta a Portugal saia para a estrada em 2020. Delmino Pereira garante que há condições para organizar o evento e diz que o futuro do ciclismo em Portugal depende desta competição.

"Não organizando a Volta, estamos hipotecar o futuro do ciclismo nos próximos anos", diz responsável. "É uma aposta de risco, de determinação e coragem", diz

Delmino Pereira recorda que a federação já tem luz verde da Direção-geral da Saúde e lembra que outras provas vão acontecer no calendário internacional, deixando o ciclismo português na cauda do pelotão no que à projeção diz respeito.

"Apresentamos um plano especial sanitário que foi apresentado à DGS (...) queremos mostrar que é possível organizar uma prova como a Volta a Portual em circunstâncias extraordinárias mas com grande disciplina.

A federação de ciclismo quer que a Volta, depois do adiamento de agosto, se realize de 27 de setembro a 05 de Outubroe vai fazer tudo para que facto aconteça, mas sempre com a perseguição do virus

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de