Herói da Volta vai esforçar-se ao "máximo" para continuar a ajudar a equipa

Ciclista que venceu a Volta a Portugal em 2016 volta a deixar o nome na Grandíssima, desta vez pela sua atitude após uma grave queda.

Rui Vinhas fica para a história da 80ª Volta a Portugal pela resiliência e espírito de companheirismo que demonstrou na quinta etapa, que fez a ligação entre Sabugal e Viseu. O ciclista português sofreu uma queda violenta devido ao embate num carro da equipa Israel Cycling Academy e regressou à corrida com muitas mazelas para não prejudicar a equipa.

As imagens do rosto coberto de sangue, dos braços com curativos e do equipamento rasgado refletem bem o estado em que o atleta ficou após o acidente. Porém, Rui Vinhas prosseguiu caminho e percorreu 90 quilómetros de sacrifício.

"Não me lembro de nada, apenas de estar com o médico da corrida, o Dr. Vasco, que me assustou e falou no Joaquim Agostinho e disse para não continuar, que podia acontecer algo do género", recorda o ciclista.

Porém, não estava a acreditar que a situação fosse idêntica à de Joaquim Agostinho, que morreu após dias em coma devido a uma queda na Volta ao Algarve, e resolveu continuar a pedalar.

"O que é certo é que me sentia bem e queria ir e continuar, com bastantes dores mas achava que estava bem e continuei. O que é certo é que estou aqui, estou bem, já fiz todos os exames necessários e estou bem", assegura, estando certo de que amanhã estará em condições para mais uma etapa.

Apesar de se sentir "um bocadinho pisado, algumas mazelas", conta que passou uma "noite tranquila dentro do possível". "O teste vai ser amanhã, porque treinar tem sempre algumas dores mas aguenta-se, se não for mais depressa é mais devagar, mas amanhã espero estar preparado para estar no apoio aos meus colegas", disse.

"Seja o Raul ou outro colega, o importante é que este ano o apoie a eles, em 2016 deram-me um apoio descomunal e se não fossem eles acho que nunca tinha vencido a Volta a Portugal. Agora tento retribuir da melhor forma e estou aqui para isso, sei que vou sofrer muito mas vou-me esforçar ao máximo para estar do lado deles e para os ajudar ao máximo", garante o vencedor da 78ª volta a Portugal.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados