Insultos racistas obrigaram a paragem no Bulgária-Inglaterra

O árbitro decidiu parar o jogo aos 30 minutos devido a cânticos dirigidos aos três jogadores ingleses.

O encontro da fase de qualificação para o Euro2020 de futebol entre Bulgária e Inglaterra, em Sófia, foi esta segunda-feira interrompido pelo árbitro na sequência de gritos racistas vindos das bancadas.

Num jogo em que a Inglaterra dominava confortavelmente - 4-0 ao intervalo -, os três jogadores negros da equipa dos 'Três Leões', Tyrone Mings, Marcus Rashford e Raheem Sterling, foram os mais visados.

Seguindo os regulamentos da UEFA, o árbitro fez um anúncio através do 'speaker' do estádio, exigindo aos adeptos responsáveis para que parassem com as ações racistas, numa altura em que estavam decorridos cerca de 30 minutos, tendo ainda uma longa discussão com os dirigentes das duas seleções no final primeiro período.

O estádio Vassil-Levski, no qual foi disputado o jogo, que Inglaterra venceu por 6-0, já estava debaixo de uma sanção da UEFA, uma vez que uma tribuna de 5.000 lugares se encontrava fechada devido a incidentes racistas durante o jogo contra Kosovo, em junho.

Ainda antes do jogo, vários jogadores da seleção inglesa falaram entre si sobre que decisão adotar caso ocorressem insultos racistas, tendo mesmo alguns, como o avançado do Chelsea Tammy Abraham, chegado a sugerir o abandono do jogo, mesmo não estando previsto no protocolo da UEFA.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados