A jornada de Páscoa que sacrificou o Feirense e pode condenar Nacional e Chaves

No "Números Redondos" desta semana tivemos como tema principal a luta pela manutenção, nomeadamente por considerarmos que a jornada 30 do campeonato podia ser muito importante neste particular. E a verdade é que os primeiros resultados desta ronda de Páscoa confirmaram em plena esta ideia.

No início da 30ª jornada, a cinco rondas do fim de um campeonato em que descem três clubes (e não dois como tem acontecido nos últimos anos), devido ao regresso do Gil Vicente à I Divisão na próxima temporada, oito dos 18 clubes estavam envolvidos na fuga à despromoção.

Já tínhamos retirado das contas o Feirense, que podia descer matematicamente neste fim de semana, como se viria aliás a confirmar logo na sexta-feira.

antes da jornada começar tínhamos: Marítimo (33 pontos), Portimonense e Boavista (32), V. Setúbal (31), Aves (30), Tondela (28), Nacional (27) e Chaves (25). Entre o 10º classificado, Marítimo, e o 17º, Chaves, havia seis pontos de diferença estando ainda 15 pontos em disputa.

Perante este cenário classificativo e tendo em conta os encontros agendados para a quadra pascal, tudo indicava que as contas da manutenção podiam estar muito mais clarificadas após esta ronda.

foi o que começou a acontecer logo na sexta-feira, graças a dois jogos entre aflitos: Tondela, 1 - Boavista, 0 e Vitória de Setúbal, 1 - Portimonense, 1. Além disso, uma das equipas que está abaixo da linha de água, o Nacional, perdeu (0-1) em casa com o Sporting, e a fechar o dia o Desportivo das Aves foi ganhar (2-0) a Guimarães.

Assim, se este sábado o Chaves não vencer em Moreira de Cónegos (atual quinto classificado), as duas formações mais aflitas ficam em situação totalmente desesperada, com o Nacional a quatro pontos da permanência e o Chaves a cinco ou seis.

Claro que nada ficará decidido, mas andará lá perto, até por que tanto Nacional como Chaves têm compromissos muito complicados nas últimas quatro rondas.

O calendário dos aflitos

O Nacional (que apenas conquistou um ponto nos últimos sete jogos, o pior desempenho entre os aflitos) vai a Chaves (um concorrente direto), a Guimarães (onde o Vitória ainda luta pela Europa) e ao reduto do Belenenses, recebendo o Porto, que está a lutar pelo título

O Chaves (só com uma vitória nos últimos seis encontros) vai ao terreno do Moreirense (que luta pela Europa), a Tondela (um rival direto) e à Feira, jogando ainda em casa com Nacional e com o Vitória sadino (ambos concorrentes diretos).

Nacional e Chaves são, portanto, duas equipas em grandes apuros e que só podem ter muita fé em milagres. Mas mesmo esses só podem acontecer se houver muita competência própria (contrariando tudo o que têm demonstrado) e enorme miséria alheia. A questão é saber quem poderão ser as "vítimas"... Olhemos o calendário dos outros (menos) aflitos.

O Tondela é a primeira equipa acima da linha de água, e terá que aproveitar os dois jogos em casa (com o descansado Santa Clara e com o concorrente direto Chaves - na última jornada), para compensar duas saídas complicadas (Marítimo e Sporting).

Quem pode ter um final de prova de terreno minado é o Boavista que, apesar de possuir 32 pontos - cinco de vantagem sobre o Nacional -, joga em casa de dois aflitos (Setúbal e Marítimo) e tem duas deslocações pouco agradáveis: a Moreira de Cónegos e a Braga.

Também com 32 pontos está o Vitória de Setúbal, mas os sadinos podem resolver a sua vida nos dois jogos em casa que lhes restam, frente a Boavista e Rio Ave, gozando ainda da vantagem de um dos seus jogos fora ser contra o Santa Clara (o outro é em Chaves).

Já o Desportivo das Aves (agora com 33 pontos, seis acima da linha de água) só tem uma partida realmente "de perder", no Dragão, recebendo ainda Belenenses e o Moreirense e deslocando-se a casa do condenado Feirense, na derradeira ronda.

Também com 33 pontos estão Portimonense e Marítimo (que até tem menos um jogo, mas na Luz...), e em ambos os casos deverão aproveitar o fator casa para se manterem longe de problemas de maior. Os algarvios recebem o Feirense e o Marítimo, enquanto os insulares têm três encontros entre portas: Braga, Boavista e Tondela.

Nota: Este foi um dos temas do programa Números Redondos desta semana - que pode ouvir aqui, na íntegra - no qual abordamos ainda as proezas do Ajax na Liga dos Campeões, os jogos dos candidatos ao título na jornada 30 do campeonato e destacamos os números de Bruno Fernandes.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de