Varandas Fernandes

"Alguém acredita que um hacker iria oferecer informação a troco de nada?"

Benfica exige ação da justiça em relação à divulgação da suposta identidade do "hacker" que alegadamente roubou informação ao clube encarnado e acusa rivais.

O Benfica reagiu à notícia da revista Sábado sobre a identidade do 'hacker' que acedeu aos emails do Benfica. Varandas Fernandes, vice-presidente do clube encarnado, defende que ninguém acredita que um hacker ofereceria informação a troco de nada e desconfia que foi o FC Porto a pagar ao hacker informático.

"Foi o diretor de comunicação do FC Porto que exibiu o produto desse roubo. Essa informação roubada veio a ser partilhada para divulgação em blogues afetos ao Sporting, muito provavelmente com a conveniência da anterior direção do clube. Alguém acredita que um hacker, conhecido por vender informações que obtém de forma ilegal, iria oferecer essa informação a troco de nada? Ninguém acredita nisso."

O dirigente encarnado repetiu, várias vezes, que o Benfica "está verdadeiramente e seriamente preocupado" com a situação e é contundente no seu discurso: "Trata-se de um crime informático. Trata-se de um roubo de correspondência. O que nos importa mais é saber as circunstâncias em que o produto do roubo chegou ao FC Porto."

Questionado sobre o porquê de o Benfica não legalizar as claques, Varandas Fernandes argumenta que os outros clubes deviam "seguir o exemplo do Benfica" e lança indiretas aos rivais: "Não fomos nós quem invadiu centro de treinos seja de árbitros ou jogadores. Nem nunca ameaçámos árbitros e seus familiares."

Relativamente à punição do jogo à porta fechada imposta pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Varandas Fernandes assegura que o Benfica vai tentar contrariar essa decisão "com provas e factos": "Em relação ao jogo do Estoril, na nossa opinião não faz sentido. O Benfica alertou as autoridades para as claques não estarem naquele sítio. E nós alertamos mais do que uma vez. Há que tirar conclusões."

Varandas Fernandes comentou ainda a situação de Paulo Gonçalves como arguido no processo e-toupeira. O vice-presidente do Benfica deixou elogios ao diretor jurídico do Benfica, sublinhando que "até prova em contrário acredito na inocência dele. Não está julgado. Está acusado."

Entretanto, o diretor de comunicação do FC Porto já reagiu a estas declarações através do Twitter. Francisco J. Marques reafirma que as autoridades sabem como é que o FC Porto teve acesso à informação e sublinha que a SAD do Benfica é a única sobre a qual pende uma acusação de corrupção.

  COMENTÁRIOS