Crise no Sporting

Bruno de Carvalho: Um presidente que não é para meninos

Cinco anos de mandato, três títulos no futebol, incontáveis polémicas. Breve viagem às guerras em que Bruno de Carvalho se viu envolvido nos últimos anos.

Tivesse Bruno de Carvalho conquistado tantos títulos quantas as polémicas em que esteve envolvido e o Sporting seria hoje, provavelmente, um case study mundial. Tem 46 anos, e só à segunda tentativa conseguiu ser eleito presidente do clube, em março de 2013, para voltar a ser reeleito em março de 2017. Em 5 anos de mandato venceu apenas três títulos no futebol: Taça de Portugal, Supertaça Cândido de Oliveira e a Taça da Liga, já esta época com Jorge Jesus.

Guerras que comprou ou em que se viu envolvido são muitas mais. Com os principais adversários desportivos - o Porto mas, sobretudo o Benfica - com a Liga de Clubes, com a Federação Portuguesa de Futebol, com os árbitros, com sócios e adeptos, com empresários de futebol e agora com o plantel principal.

Um dos casos mais recentes e mais mediáticos, teve a ver com o caso dos voucheres do Benfica. A esse propósito Bruno de Carvalho afirmou que "se fosse noutro país, o Benfica descia de divisão."

Castigos, já sofreu muitos, pelo que faz mas, sobretudo, pelo que diz. Há um ano, por exemplo, foi suspenso de funções durante 113 dias, por palavras proferidas dois anos antes, o que levou Bruno de Carvalho a dizer que "há um lápis vermelho no futebol".

Os adversários de Bruno de Carvalho parecem vir de todo o lado e alguns são sportinguistas. Na Assembleia Geral do clube de junho de 2017, o presidente do Sporting falou em "senhores que se dizem do Sporting e andam em almocinhos com pessoas do Benfica". A esses sportinguistas, Bruno de Carvalho chamou "reles, porcos, nojentos. Sportinguistas que tenho vergonha que o sejam".

Ao presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, chegou a chamar "um perfeito idiota". E a Rodolfo Reis, ex-jogador e comentador televisivo, "labrego". Quando foi confrontado com a investigação do Ministério Público, por suspeitas de tráfico de influências, disse que "qualquer monte de esterco é livre de fazer denúncias".

Recentemente envolveu-se numa troca de acusações com o presidente do Sporting de Braga, António Salvador, por causa do pagamento de uma tranche do passe do jogador Bataglia. Bruno de Carvalho chamou ao homólogo de Braga um dos seus nomes favoritos: "labrego". Só que desta vez acrescentou-lhe também "trolha".

Nem uma semana passou, e Bruno de Carvalho já está envolvido em mais uma polémica. As críticas que fez ao plantel, depois da derrota por 2-0 frente ao Atlético de Madrid, valeram-lhe uma resposta dura por parte dos jogadores. O capitão Rui Patrício atreveu-se a manifestar o desconforto dos jogadores e Bruno de Carvalho não demorou muito a responder. Chamou aos seus jogadores "miúdos amuados" e "crianças mimadas", para a seguir os ameaçar com uma suspensão.

Se a missão de contar todas as polémicas em que Bruno de Carvalho já se viu envolvido é quase impossível, é perfeitamente possível antecipar que esta não será seguramente a última.