Bruno Lage não comenta arbitragens: "Temos de dar credibilidade"

O técnico do Benfica rejeitou o clima eufórico e diz que a equipa vai continuar a pensar jogo a jogo.

O treinador do Benfica mostrou-se satisfeito com a goleada alcançada em Braga que coloca a equipa na liderança isolada do campeonato. Na conferência de imprensa após o jogo, Bruno Lage recusou comentar os casos de arbitragens, defendendo que o futebol precisa de "credibilidade".

"Temos de dar é credibilidade em todos os setores. Treinadores, jogadores, árbitros, VAR, às direções... Tenho algum receio que algumas equipas se comecem afastar do futebol, que alguns clubes deixem de existir. Temos menos gente no futebol e temos de fazer disto a nossa indústria. Se não vamos ter meia dúzia de treinadores, de jogadores, de árbitros e de jornalistas. Ficámos todos em perigo", defendeu.

O técnico encarnado que somou a 15.ª vitória na Liga alertou ainda para a fase que o Benfica irá enfrentar até ao final do campeonato.

"Estamos numa altura muito importante da época. As equipas de cima precisam de pontos para conquistar títulos, para chegar à Liga Europa e para não descer de divisão. É uma reta final muito difícil. Conhecemos muito bem o próximo adversário, o Portimonense, e vamos tentar apresentar uma boa dinâmica", sublinhou.

Bruno Lage reiterou ainda que o sucesso do Benfica nos últimos jogos deve-se ao trabalho realizado no treino, elogiando os jogadores.

A confiança, desde a primeira hora, está na forma como nós treinamos. Tenho pena de não haver mais momentos em que os treinos sejam visíveis. Somos uma equipa que cria várias oportunidades de golo, com vários jogadores a terem facilidade na finalização, mas a confiança está no trabalho diário", rematou.

Abel elogia jogadores

O técnico do Sporting de Braga estava triste com o resultado mas concordou que o Benfica foi um justo vencedor.

"Na primeira parte, estivemos muito bem. Na segunda parte, o nosso adversário foi melhor. No cômputo geral, o resultado favoreceu a melhor equipa", disse, enumerando depois os detalhes do encontro.

"Esperávamos uma resposta de uma equipa com estofo de campeão, que queria outro resultado. O primeiro penálti surge numa situação de superioridade numérica nossa. O segundo penálti surge num lance semelhante. Não estávamos desequilibrados, mas faltou-nos ganhar os duelos. A partir daí, o Benfica, jogando bem em transição, com jogadores que definem muito bem, resolveu o jogo, com o terceiro golo marcado numa bola parada", frisou.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de