Clássico: FC Porto "não está excitado" e Keizer garante que "resultado não é decisivo"

Marcel Keizer e Sérgio Conceição fizeram a antevisão do jogo grande da 17.ª jornada, o clássico em Alvalade, e mostraram que ambas as equipas querem ganhar.

O treinador do Sporting retirou, esta sexta-feira, o peso de decisivo ao clássico com o FC Porto, mas frisou que será importante somar os três pontos no Estádio José Alvalade.

"O resultado não é decisivo, mas queremos a vitória. É um jogo muito importante frente a uma excelente equipa, que ganhou muitos jogos. O FC Porto está a jogar muito bem", afirmou Marcel Keizer, em conferência de imprensa.

Mesmo estando a oito pontos da liderança, o técnico holandês deixou claro que o panorama atual na classificação ainda pode mudar.

"[FC Porto] Está na frente com seis pontos de vantagem sobre o segundo [Sporting de Braga] e oito sobre nós. Isso revela que têm sido a equipa mais forte, mas com quatro equipas a lutar pelo título ainda tudo pode acontecer", analisou.

Quanto à prestação do Sporting nas últimas partidas, Keizer reconheceu que houve uma quebra e pediu tempo aos seus jogadores.

"É verdade que houve menos esse estilo de jogo [pressão alta] e é uma forma complicada de se jogar. Temos de dar tempo aos jogadores e agora o mais importante é conseguirmos acertar os passes", admitiu.

Equipa azul e branca "não está excitada" com liderança isolada

Por seu lado, o treinador do FC Porto garantiu que a sua equipa "não está excitada" com presente vantagem que tem na liderança da I Liga de futebol, lembrando que o seu foco "está no imediato" e não "daqui a quatro meses".

Sérgio Conceição partilhou este sentimento na antevisão ao jogo com o Sporting, deste sábado, em Alvalade, para o qual prometeu, ainda assim, um FC Porto apostado em amealhar o triunfo.

"Depois deste jogo haverá ainda 51 pontos para conquistar e, por isso, não ficamos muito excitados com esta vantagem. Para uma equipa como o FC Porto é normal, não é qualquer tipo de arrogância ou vaidade da nossa parte, mas estamos habituados a estar na frente, não é nada de especial", comentou o técnico.

Ainda assim, Sérgio Conceição admitiu que um triunfo em Alvalade deixará a sua equipa numa posição mais confortável, apesar de entender também a motivação com que os 'leões' encaram este jogo.

"Será um jogo importante para o rival, que, se perder, ficará a 11 pontos. Para nós também, pois podemos aumentar a vantagem para um adversário direto. Mas temos de nos preocupar com o nosso trabalho, e ganhar. No final faremos as contas. Ainda nada esta atribuído", notou o treinador portista.

Perante estes pressupostos, Sérgio Conceição não antecipou qual a equipa que entra com mais responsabilidades para este desafio, considerando que, após o apito inicial "a diferença na tabela deixa de existir dentro do campo".

"A responsabilidade do FC Porto é sempre ganhar, presumo que no Sporting seja a mesma coisa. Temos de estar bem no jogo perante um adversário sempre difícil, para conseguirmos os três pontos", vincou.

O treinador dos 'dragões' recuperou o facto do Sporting não perder, no seu reduto, desde maio de 2017, para antecipar as dificuldades que espera encontrar em Alvalade, analisando como "positivo" o percurso que Marcel Keizer tem feito no comando do Sporting.

"Com o José Peseiro a equipa estava bem colocada, mas o ambiente não era a fácil em volta do treinador. Após a chegada do novo presidente, e deste treinador, o Sporting ganhou alguma tranquilidade. Há coisas diferentes na equipa, que são fáceis de observar, mas penso que está a ser positivo o trajeto de Marcel Keizer, sabendo que o campeonato português é competitivo e não é fácil, conseguiu trazer coisas diferentes", analisou Sérgio Conceição.

Palavras de elogio do treinador do FC Porto recebeu, igualmente, o médio dos 'leões' Bruno Fernandes, a quem Sérgio Conceição "reconheceu ser um jogador importante na dinâmica do Sporting a que tem de se dar atenção", mas também o horário do jogo escolhido [15:30].

"Tenho de dar os parabéns e quem escolheu este horário. Faz bem ao futebol, vai haver muita gente a levar as famílias, e isso só vai beneficiar o espetáculo. Não me queixo se tivermos de alterar rotinas, prefiro ter um estádio cheio de gente, tal como acontecia antigamente. É motivante", desabafou Sérgio Conceição.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de