Casa Pia bate Vilafranquense nos penáltis e conquista o Campeonato de Portugal

Ambas as equipas vão disputar a Segunda Liga na próxima temporada.

O futebolista Wilson Kenidy deu hoje o título do Campeonato de Portugal ao Casa Pia, ao apontar a grande penalidade decisiva (4-2, após 2-2 no fim do prolongamento) frente ao Vilafranquense, na final que se realizou no Estádio Nacional.

O Casa Pia, que sucede ao Mafra, esteve por duas em desvantagem: o Vilafranquense inaugurou o marcador aos 57 minutos, por Kelvin, mas o Casa Pia igualou aos 79, com um golo de João Coito, levando o jogo para o prolongamento, no qual a equipa de Vila Franca de Xira voltou a adiantar-se, aos 92, por Gustavo Tocantins, tendo João Coito bisado, aos 111, e adiado a decisão para as grandes penalidades.

Já sem o nevoeiro que se pairou sobre o Estádio Nacional durante grande parte da tarde e com a esperança de levantar o troféu repartido na esperança das duas equipas que na próxima época irão disputar a II Liga, o Vilafranquense foi o que deu o primeiro sinal de perigo.

Na meia esquerda, com um remate cruzado, aos nove minutos, China obrigou o guarda-redes casapiano Rafael Marques a uma defesa para canto.

Em cima do intervalo (45+1), João Vieira, com a baliza aberta a pouco mais de um metro de distância e o guarda-redes Rafael Marques no chão, atirou a bola por cima, obrigando o jogo ir para o intervalo com um 'nulo'.

Aos 52 minutos, os mesmos intervenientes voltaram a estar em destaque, com a equipa de Vila Franca de Xira a desperdiçar novamente a oportunidade de colocar-se na condição de vencedor.

Algo que Kelvin, aos 57 minutos, não perdoou: na sequência de um livre indireto, na esquerda, cobrado por Luís Pinto, que cruzou para Gustavo Tocantins, tendo este assistido o internacional cabo-verdiano para inaugurar o marcador.

Com o golo sofrido, o Casa Pia assumiu a posse de bola e colocou em campo Mateus Fonseca, para o lugar de Andrezinho, e conseguiu abrir brechas no setor defensivo das 'piranhas do Tejo', mas foi novamente João Vieira a ter o golo nos pés, aos 72 minutos, com Rafael Marques a defender para canto.

Os comandados de Luís Loureiro chegaram à igualdade, aos 79 minutos, por intermédio de João Coito, na sequência de um pontapé de canto, o que levou o jogo a prolongamento.

Gustavo Tocantins, aos 92 minutos, recolocou o Vilafranquense a vencer, com um remate de fora da área, mas, aos 111, João Coito voltou a empatar a partida, depois de um livre cobrado por Miguel Bandarra.

Na marcação de grandes penalidades, a sorte acabou por sorrir aos casapianos, que não falharam nenhum dos cinco remates, com Wilson Kenidy a converter o último, e que viram o guarda-redes Rafael Marques defender as tentativas de Lucas Morellato e de Luís Pinto.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de