Lage sobre desacatos: "A gente tem de começar a prender esta malta"

Técnico encarnado foi muito crítico depois dos desacatos que se verificaram no jogo entre Académica e Benfica. Um adepto foi para o hospital.

O treinador do Benfica, Bruno Lage, insurgiu-se hoje, após o jogo de preparação com a Académica, contra os adeptos que provocaram desacatos no Municipal de Coimbra e apelou a que se comece a prender os desordeiros.

"Antes de falar do jogo, quero falar do minuto 30. Isto tem de acabar! Houve um adepto que foi para o hospital e ninguém foi preso. A gente tem de começar a prender esta malta, esteja ela vestida de preto, de vermelho, de azul ou de verde", afirmou Bruno Lage, indignado com as cenas de violência que forçaram à interrupção do jogo entre as duas equipas.

Para o treinador do Benfica "perde-se muito tempo a falar de outras situações" quando estes episódios de violência "é que não deviam ser tolerados e têm de ser encarados de outra maneira".

"Hoje o jogo esteve parado cinco minutos. Já chega. Temos de tomar medidas urgentes sob pena de um dia, como adepto, deixar de trazer o meu filho ao futebol", rematou Bruno Lage em declarações à SportTV.

Fonte da PSP adiantou à TSF que uma pessoa foi detida por invasão do terreno de jogo e outras quatro foram identificados na sequência dos distúrbios.

O Benfica goleou hoje a Académica por 8-0, em jogo de preparação da pré-época, disputado no estadio Municipal de Coimbra, mas esteve interrompido cerca de oito minutos devido a problemas nas bancadas entre os adeptos, alguns dos quais chegaram a entrar na pista de atletismo para fugir aos desacatos, que obrigaram à intervenção da polícia.

Dos incidentes resultou, pelo menos, um ferido, que esteve a ser assistido na pista de atletismo do Estádio Cidade de Coimbra durante largos minutos, junto à bancada superior nascente.

Notícia atualizada às 10h00 de domingo

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de