Faltaram ferramentas, valeu o canivete suíço. Benfica vence Tondela e retoma liderança

Veja o golo. Encarnados precisavam de vencer depois da vitória do FC Porto em Braga. 1-0 frente ao Tondela foi suficiente.

O Benfica recebeu e venceu, esta noite, o Tondela no Estádio da Luz por 1-0, num jogo em que foram marcados quatro golos, mas em que só um - o de Seferovic - valeu. Depois do resultado do SC Braga - FC Porto , os encarnados precisavam de ganhar para voltar ao topo do campeonato e foi exatamente isso que fizeram: têm agora 66 pontos, os mesmos que os dragões, mas lideram devido ao confronto direto.

A primeira grande oportunidade da partida pertenceu aos anfitriões. Félix combina na direita com Rafa e consegue aparecer isolado no interior da grande área. No duelo com Cláudio Ramos, atirou ao lado da baliza.

Dadas a conhecer as intenções benfiquistas para esta partida, foi dos pés de Rafa que surgiu a oportunidade seguinte. O português fez uma receção orientada, bailou sobre Ricardo Costa e, de pé esquerdo, atirou cruzado. Jonas não acreditou no lance e deixou passar uma oportunidade de finalização.

Era o Benfica quem assumia o jogo e até conseguiu mesmo chegar ao golo. Pizzi cruza para o interior da grande área e encontra Jonas que atrasa a bola para André Almeida. O defesa remata de primeira e de pé esquerda, mas a posição irregular de Jonas no momento da assistência anulou o golo.

Mais um momento de jogo, mais uma oportunidade para os encarnados, de novo para Rafa. O português vai em direção à baliza mas, à saída de Cláudio Ramos, não foi capaz de finalizar. Mérito para Cláudio Ramos, que defende a bola com a perna esquerda, demérito para Rafa, que continua a ser perdulário.

Quem ia acertando era Joãozinho que, do meio da rua, obrigou Vlachodimos a dar uma sapatada na bola para a enviar por cima da baliza.

O Benfica mantinha o ritmo de jogo bastante alto e ia apostando em algo que parecia desorientar a defesa tondelense: as jogadas individuais. Pizzi, Rafa e Félix pegavam na bola e, por várias vezes, conseguiram desmontar a defesa beirã, abrindo espaços que eram, no mínimo, perigosos.

No Tondela, Murillo e Xavier eram as setas apontadas à baliza. Assim que a equipa recuperava à bola, cada um encostava às laterais e tentava, de imediato, receber a bola. O problema é que ela raramente saía do meio-campo.

Os beirões podiam mesmo ter chegado à vantagem em cima do intervalo. Murillo disparou em direção à baliza e cruzou atrasado para Xavier que, a um metro da baliza, viu a bola passar-lhe por trás.

O jogo chegava ao intervalo com um 0-0 no marcador. O Benfica somava 73% da posse de bola e oito remates (um enquadrado), contra seis do Tondela. Nota ainda para os encarnados, que não cometeram qualquer falta na primeira parte. No arranque da segunda parte, Lage optou por lançar Seferovic, prescindindo de Samaris.

Salvação chegou no final

O suíço entrou e o efeito quase foi instantâneo. Rematou e, não tivesse sido Jonas, a bola teria seguido o caminho da baliza. Na outra baliza houve um calafrio.

Murillo é lançado em velocidade nas costas de toda a defesa encarnada e, chegado à baliza, pica a bola com sucesso sobre Vlachodimos. A Luz calou-se, mas Carlos Xistra depressa fez saber que não valia: o venezuelano tinha partido de posição irregular. No minuto seguinte, o mesmo Murillo ultrapassou meia defesa do Benfica e entregou a Tomané, que não foi capaz de finalizar.

Não marcou o Tondela, aproveitou Jonas. Mas também não valeu. A bola ressalta em vários jogadores beirões e André Almeida acaba por, com a mão, passar a bola a Jonas. Não obstante, o brasileiro faz um excelente trabalho no interior da grande área e finaliza. Mas o jogo continuou 0-0.

Aos 71', a Luz assistiu a mais uma estreia: quatro anos depois de ter chegado ao Benfica, Taarabt estreava-se em jogos oficiais pela equipa A do Benfica. Xavier quis desviar as atenções e, aos 73' obrigou Vlachodimos a voar para evitar o primeiro golo (válido) do Tondela.

A entrada de Taarabt deu mais transporte de bola aos encarnados, mas foi Jonas quem quis dar um pontapé na crise deste jogo. Cláudio Ramos não deixou.

A Luz já começava a ver o FC Porto fugir com o primeiro lugar, mas aos 83', Grimaldo e Seferovic descobriram o caminho do golo. O espanhol cruzou muito largo a partir da esquerda e o ponta de lança, no meio dos centrais, cabeceou para o fundo da baliza. Seferovic fez o 16.º golo na Liga (20.º da época).

A noite ainda podia, no entanto, ter corrido mal para os benfiquistas. À boca da baliza, e após um cruzamento de Joãozinho, Patrick - dentro da pequena área - atirou a bola por cima. Se tivesse marcado, tinha valido o empate ao Tondela, visto que o jogo acabou de imediato.

O golo de Seferovic, aos 84'.

O golo anulado a André Almeida, aos 12'.

O golo anulado a Murillo, aos 48'.

O golo anulado a Jonas aos 50'.

Onze do Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Samaris, Gabriel, Pizzi, Rafa, João Félix e Jonas

Onze do Tondela: Cláudio Ramos, David Bruno, Ricardo Costa, Jorge Fernandes, Joãozinho, João Pedro, Bruno Monteiro, Murillo, Delgado, Xavier e Tomané

Suplentes do Benfica: Svilar; Corchia, Gedson, Taarabt, Cervi, Jota e Seferovic.

Suplentes do Tondela: Pedro Silva; Moufi, Tembeng, Pité, João Mendes, Sérgio Peña e Patrick.

Carlos Xistra foi o árbitro desta partida, assistido por Luciano Maia e Paulo Miranda. Hélder Malheiro esteve no VAR, acompanhado de Bruno Jesus.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de