Empate em Braga foi suficiente para FC Porto confirmar presença no Jamor

Os dragões são os primeiros finalistas da Taça de Portugal e esperam pelo resultado do dérbi desta quarta-feira para conhecer o adversário. Veja os golos.

Com uma vantagem confortável conquistada no jogo da primeira mão no Dragão (3-0), o FC Porto sabia que em Braga só tinha de gerir o resultado. No segundo embate entre ambas as equipas em poucos dias, Sérgio Conceição optou por deixar vários titulares no banco, pensando já nos compromissos de sexta-feira para a Liga e, dentro de uma semana, frente ao Liverpool para a Liga dos Campeões.

O jogo na Pedreira, com poucos adeptos, começou com um cabeceamento de Adrián Lopez a sair por cima. O avançado azul e branco conseguiu encontrar a bola após um canto mas não assustou Marafona. O mesmo não pode dizer Fabiano, do lado oposto. O guardião brasileiro, que substituiu Casillas na baliza portista, viu Wilson Eduardo a rematar isolado, com a bola ainda a embater na barra. Foram os principais lances de perigo nos primeiros 10 minutos.

No minuto seguinte, a equipa da casa queixou-se de um braço na bola de Militão na grande área, mas a equipa de arbitragem liderada por Manuel Mota não deu seguimento aos protestos do Braga. Aos 15 minutos, os pupilos de Abel Ferreira chegaram mesmo ao golo, após um contra-ataque pela direita iniciado por Ricardo Horta e finalizado por Paulinho. No entanto, após a revisão do videoárbitro o golo foi anulado por fora de jogo no início da jogada do extremo bracarense.

O jogo estava com um ritmo elevado e parecia que o Braga estava melhor no jogo, com maior clarividência no último terço do terreno. Na passagem da meia hora, na sequência de um livre, Sequeira voltou a assustar Fabiano, que viu a bola a sair ligeiramente ao lado. A poucos minutos do intervalo, o Sporting de Braga chegou mesmo à vantagem. Na esquerda, Paulinho deixou Felipe pregado ao relvado, progredindo no terreno até que, na cara de Fabiano, pica a bola por cima do guardião portista.

Na segunda parte, o Sporting de Braga entrou a todo o gás, ameaçando a defensiva adversária. Num primeiro lance, Murillo foge a Maxi e a Felipe e remata para uma defesa de Fabiano, que desvia a bola para canto. Na sequência do lance, Pablo cabeceia mas Fabiano evita o segundo golo bracarense, numa enorme defesa.

À medida que o placar avançava, o FC Porto não conseguia controlar o jogo e o Braga aproveitava. Paulinho era o mais destemido, provocando enormes calafrios na defesa azul e branca. Mas o FC Porto é uma equipa forte nas bolas paradas e foi através de um canto que conseguiu chegar ao empate na partida.

Corona bateu o canto, Danilo subiu ao segundo andar e cabeceou para o fundo das redes de Marafona. O golo permitiu à equipa de Sérgio Conceição respirar, uma vez que o Braga estava mais perigoso no jogo.

Com o empate, o Braga perdeu a esperança na reviravolta. O FC Porto carimba assim o primeiro bilhete para a final do Jamor, regressando à final da Taça de Portugal, competição que não vence desde 2011.

Veja os golos:

Paulinho, 41'

Danilo, 74'

Onze do Braga: Marafona; Marcelo Goiano, Pablo Santos, Bruno Viana e Sequeira; Ricardo Horta, Palhinha, Claudemir e Murilo; Wilson Eduardo e Paulinho.

Suplentes: Tiago Sá, Ryller, Xadas, João Novais, Esgaio, Trincão e Dyego Sousa.

Onze do FC Porto: Fabiano; Maxi, Felipe, Militão, Manafá; Corona, Danilo, Óliver, Adrián; Fernando Andrade e André Pereira.

Suplentes do FC Porto: Casillas, Brahimi, Marega, Loum, Mbemba, Otávio e Soares.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de