académica

Éder já deu conta do paradeiro à Polícia Judiciária

O futebolista Éder, da Académica, deu conta do seu paradeiro à Polícia Judiciária (PJ), depois de dirigentes do clube de Coimbra terem participado o seu desaparecimento no sábado, no Porto.

Fonte próxima do jogador disse, este domingo, à agência Lusa que o avançado «não desapareceu», está em casa e já informou a PJ sobre o seu paradeiro.

Segundo a mesma fonte, o futebolista fez «tudo pelo seu próprio pé» e, entretanto, disse à PJ que «está bem e que não se passou nada».

O presidente da Académica, José Eduardo Simões, e o vice-presidente Luís Godinho, participaram à Polícia Judiciária do Porto o desaparecimento de Éder, por desconhecerem o paradeiro do jogador, depois de ter sido deixado por dirigentes num hotel para negociar a transferência para o West Ham, de Inglaterra.

De acordo com uma fonte do clube de Coimbra, a Académica tinha acertado a transferência do avançado para o West Ham e, após o jogo da 17.ª jornada da Liga com o Rio Ave, em Vila do Conde, Éder foi conduzido a um hotel no Porto para acertar o acordo com representantes do clube inglês, que também desconheciam o seu paradeiro.

A Académica vai abordar o assunto durante o dia de hoje, em conferência de imprensa ou através de comunicado.

  COMENTÁRIOS