FC Porto diz que foi proibido de fazer coreografia na final da Taça

O Oficial de Ligação aos Adeptos dos dragões, Fernando Saul, recorreu às redes sociais para se insurgir contra a Federação Portuguesa de Futebol.

O FC Porto queixa-se de "discriminação" por parte das entidades que estão a organizar a final da Taça de Portugal e diz que foi impedido de realizar uma coreografia com cerca de 15 mil bandeiras.

"O FC Porto tinha preparado uma coreografia com cerca de 15 mil bandeiras para os seus adeptos, mas fomos agora informados que não irá ser permitida a entrada dessas bandeiras, estamos estupefactos... O argumento é o tamanho da haste e o perigo de inflamação. E não é que já usámos várias vezes este tipo de bandeiras no nosso estádio devidamente aprovadas? Será que a lei para lá da Ponte D. Luís é diferente? Não é a festa da taça onde tentamos engrandecer o espetáculo e colorir a final e nos é tirado esse direito?", questionam os azuis.

Os dragões dão o exemplo de Inglaterra e dizem-se vítimas de discriminação: "Vimos no passado fim-de-semana, por exemplo, na tão falada e elogiada Taça de Inglaterra mais de 90.000 bandeiras de ambos os lados, o Tottenham na meia-final da Champions fez o mesmo, mas parece que em Lisboa aos adeptos do FC Porto não será permitido. Até quando esta descriminação? É desta forma que as entidades continuam a tratar os adeptos de futebol em Portugal", acrescentam.

O jogo da final da Taça de Portugal, entre o FC Porto e o Sporting, está marcado para o próximo sábado. O apito inicial será às 17h15.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de