Futebol

Guarda-redes Eduardo não promete continuidade no Braga

Em entrevista à TSF, o habitual titular da baliza portuguesa disse não estar surpreendido com a chamada de Daniel Fernandes e acredita que a selecção pode «ir longe» no Mundial 2010. Eduardo referiu também que não sabe se vai continuar no Braga na próxima época.

O guarda-redes Eduardo não promete que possa continuar a representar o Sporting de Braga, apesar da melhor época de sempre do clube bracarense, que terminou o campeonato em segundo lugar atrás do Benfica.

Em entrevista exclusiva à TSF, o guardião lembrou a «época fantástica» num clube pelo qual tem «carinho» e que está no seu coração, mas explicou que não pode garantir nada, até porque «somos profissionais e tudo pode acontecer».

«O que acontecer será bom para o Eduardo e será bom para o Sp. Braga», acrescentou o habitual titular da baliza da selecção portuguesa, que assegurou que «não há nada de concreto» entre si o Benfica, apesar de tudo o que se diz.

«Estou tranquilo em relação ao meu futuro e sei que se as coisas continuarem a correr bem, as coisas aparecerão naturalmente», acrescentou Eduardo que não quer aumentar a «especulação» quando questionado se gostaria de voltar a trabalhar com Jorge Jesus.

Sobre a selecção, Eduardo indicou que a obrigação de todos «é dar o máximo» e que vai continuar a trabalhar para «merecer a confiança» do seleccionador, tendo a convocatória de Carlos Queiroz não o deixado surpreendido no que toca à chamada de Daniel Fernandes.

«Têm vindo a fazer parte do grupo durante a temporada toda. Era uma convocatória esperada. Havia um leque de guarda-redes que podiam ser convocados. O seleccionador escolheu aqueles que entende serem melhores que eram melhores e estão de parabéns os que foram convocados», acrescentou.

O guarda-redes considera ainda que Portugal poderá «ir longe» no Mundial 2010, pois «temos um lote dos melhores jogadores do mundo e isso faz-nos acreditar que o grupo é bom, é coeso e está unido como provou ao longo de toda a qualificação, pois conseguiu superar as partes mais difíceis».