Jonas, a chamada de Jesus e o que aprendeu com cada treinador no Benfica

Jorge Jesus ligou a Jonas para saber se o brasileiro ia mesmo terminar a carreira. Jonas diz que o técnico português o fez jogar um futebol em que nem o próprio acreditava.

O futuro de Jonas passa, para já, pelo Brasil... mas não pelos relvados. Depois de ter deixado o futebol, esta quarta-feira, Jonas esteve a autografar camisolas junto ao estádio da Luz e, aos jornalistas, o antigo avançado confessou que este verão chegou mesmo a receber uma proposta do São Paulo.

Jorge Jesus também lhe ligou, mas foi apenas para desejar boa sorte. "Ligou-me nas férias, já estava no Rio de Janeiro, para me perguntar se eu ia mesmo terminar a carreira, eu respondi-lhe que sim. O único clube que me fez uma proposta - que nem chegou a ser - foi o São Paulo. Deixei passar essa possibilidade, ia terminar a carreira aqui, nem avançámos", garante.

Sobre o ataque dos encarnados no pós-Jonas, o brasileiro deixou uma garantia aos adeptos: ficam bem servidos com Seferovic, De Tomás e Cádiz. "Está tudo bem. O Seferovic já demonstrou o seu potencial na temporada passada, o Raúl já mostrou a sua qualidade no futebol espanhol, tenho a certeza de que vai ter muito sucesso. O Cádiz também chegou e vai acrescentar muito."

Em matéria dos treinadores com quem trabalhou no Benfica, Jonas destaca o que aprendeu com cada um - Rui Vitória, Jorge Jesus e Bruno Lage. Leva "um pouco de cada um".

"Lage foi com quem trabalhei menos, mas foi importante nesta reta final, num momento difícil e uma conversa mudou tudo. Com o Rui Vitória estive mais tempo e, em termos de gestão e de lidar com o grupo, aprendi muito com ele. Taticamente, Jorge Jesus dispensa comentários. Quando cheguei, conseguiu tirar de mim um futebol em que nem eu acreditava", reconheceu.

Agora, Jonas regressa ao Brasil para se dedicar a outros negócios - fora do futebol - no interior do estado de São Paulo.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de