Moto2

Miguel Oliveira lamenta erro na trajetória da última volta do GP Áustria

No circuito em Spielberg, Oliveira assumiu a liderança da corrida ainda na primeira volta mas, na última curva, uma manobra mais arriscada permitiu que Francesco Bagnaia assumisse a liderança, vindo a vencer a corrida.

O piloto português Miguel Oliveira, segundo classificado em Moto2 no Grande Prémio da Áustria, explicou este domingo que tentou "fechar a trajetória" na última volta, mas que "foi difícil parar a moto".

"Na última volta tentei fechar a trajetória, mas não deu. Ataquei na última curva, mas com a roda traseira no ar foi difícil parar a moto", argumentou Miguel Oliveira, descrevendo os instantes finais que o fizeram perder a liderança no Grande Prémio, e no Mundial.

No circuito em Spielberg, Oliveira arrancou do segundo lugar, mas assumiu o topo da corrida ainda na primeira volta. Contudo, acabou pressionado na parte final das 25 voltas pelo italiano Francesco Bagnaia, que lhe tiraria o primeiro lugar e a liderança no campeonato.

Quando faltavam três voltas para o final, a luta tornou-se bastante intensa entre Bagnaia e Miguel Oliveira, e, na última curva, uma manobra mais arriscada permitiu ao piloto italiano vencer a corrida.

"É um sabor agridoce terminar uma corrida como esta na 2.ª posição. Desde o início que sabia que perdia um pouco no 3.º setor e que o Bagnaia era forte", disse ainda o piloto luso à sua assessoria de imprensa.

No Mundial, Miguel Oliveira (KTM) caiu para o segundo lugar, agora com 186 pontos, a três de 'Pecco' Bagnaia (Kalex).

"Dei o que tinha, estou feliz por mim e pela equipa, e por tudo estar a funcionar bem. Na próxima corrida voltarei a lutar pela vitória", concluiu.

O Mundial de Moto2 regressa daqui a duas semanas, com o Grande Prémio da Grã-Bretanha, no circuito de Silverstone, em 26 de agosto.

  COMENTÁRIOS