Não resultou no Porto, voou no Benfica e agora vale 120 milhões

Do valor desportivo nasceu o valor monetário com que João Félix pode estar prestes a estabelecer um novo recorde no futebol português. Mas, como chegou até aqui?

Menos de um ano depois de se ter estreado pela equipa principal do Benfica, João Félix estará perto de se tornar no jogador português mais caro de sempre. Passou por FC Porto e Padroense antes de chegar à Luz, mas foi nos encarnados que despontou, 19 anos depois da cidade de Viseu o ter visto nascer.

A época 2018/2019 foi de afirmação total para Félix: estreou-se na equipa sénior ainda pela mão de Rui Vitória, na segunda jornada da Liga, frente ao Boavista. Acabou por ter um papel crucial na equipa que se sagrou campeã nacional: em 43 jogos com a camisola do Benfica, apontou 20 golos, incluindo um hattrick na Liga Europa frente ao Eintracht Frankfurt.

Iniciou a carreira no Pestinhas, de Tondela, onde o FC Porto o foi buscar para atuar nas camadas jovens durante seis anos. Em 2015, mudou-se para os juvenis do Benfica e fez grandes épocas nos juniores sob as ordens de João Tralhão ou Bruno Lage, com quem acabou por se sagrar campeão nacional de seniores.

A época de grande nível acabou por justificar chamadas à seleção nacional: Fernando Santos chamou-o pela primeira vez em março mas acabou por não o utilizar. Em junho, no entanto, a história foi outra. Félix estreou-se na seleção - a titular - no jogo das meias-finais da Liga das Nações frente à Suíça. Acabou por fazer uma exibição tímida, principalmente quando, ao lado, Cristiano Ronaldo fazia um hattrick.

Esta quarta-feira, o Benfica confirmou aquilo de que já há semanas se falava: o Atletico de Madrid quer levar Félix. Depois de, num primeiro momento, terem desmentido quaisquer negociações, esta quarta-feira as águias fizeram saber à CMVM que os colchoneros apresentaram uma proposta de 126 milhões de euros - sujeito a prestações - por João Félix. A cláusula de rescisão do jovem é de 120 milhões de euros.

A confirmarem-se estes valores, a transferência de João Félix, de 19 anos, será a mais cara de sempre de um futebolista português, acima dos 100 milhões de euros que Cristiano Ronaldo custou à Juventus em 2018/19, e mais do que duplica o maior encaixe de um clube luso, ou seja, os 50 milhões que o Real Madrid pagou ao FC Porto pelo defesa brasileiro Éder Militão, já em 2019.

O negócio entra também para o top 5 dos mais volumosos da história do futebol, igualando os 120 milhões pagos pelo FC Barcelona ao Liverpool por Philippe Coutinho, embora as variáveis previstas possam elevar a transferência do brasileiro aos 160 milhões de euros.

No topo da tabela continua o brasileiro Neymar, que levou o Paris Saint-Germain a acionar a cláusula de rescisão de 222 milhões de euros do contrato com o FC Barcelona.

Na mesma temporada, os parisienses contrataram o francês Kylian Mbappé ao Mónaco, mas através de um empréstimo com obrigação de compra no final da época, por 145 milhões de euros, mais 35 em variáveis.

Os franceses Ousmane Dembélé, que se transferiu do Borussia Dortmund para o FC Barcelona, e Paul Pogba, que trocou a Juventus pelo Manchester United, custaram 105 milhões de euros, aos quais podem acrescer algumas variáveis.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de