Entrelinhas

"O Boavista pagou 250 contos para eu não ir para o Ultramar"

O nome de Taí está inscrito na história do futebol português. O antigo jogador do Amarante, Académica, Boavista e FC Porto foi o único que disputou cinco finais consecutivas da Taça de Portugal.
Dessa mão cheia de jogos, Taí levantou a taça por quarto vezes: três pelo Boavista e uma pelos dragões. Foi pelos azuis e brancos que conquistou um campeonato, interrompendo um jejum de 19 anos.

Entrevistado por João Ricardo Pateiro, Taí começa por contar uma história curiosa, quando passou pela Académica.

"Eu tinha o vencimento dos casados, que eram dois contos e quinhentos, além de comida e roupa lavada. Os solteiros ganhavam só um conto e oitecentos", partilha Taí.

No ínicio dos anos 1970, Taí era um elemento fundamental na equipa do Boavista. E nessa época, a guerra colonial era uma ameça para os jovens da sua geração. Apesar de ter feito o serviço militar, nas Caldas da Rainha, o antigo atleta não seguiu para África.

"O Boavista pagou 250 contos para eu não ir para o Ultramar. E essa pessoa era casada, conseguiu regressar e acabou por adquirir uma casa, com esse dinheiro. Fez a sua aposta", afirma Taí.

Depois de várias épocas no clube do Bessa, Taí transferiu-se para o rival da invicta, o FC Porto. Chegou aos dragões pela mão do histórico treinador José Maria Pedroto.
Nesta entrevista, Taí partilha um episódio que aconteceu durante um jogo entre os azuis e brancos e o Vitória de Setúbal.

"O sr. Pedroto chegou ao balneário e diz: ui, estamos 12. A minha vontade de ganhar é de tal ordem que vou pôr os 12 a jogar".

À TSF, o antigo jogador conta que conseguiu licenciar-se em Ciências do Desporto mas, após ter terminado a carreira como jogador, não ficou ligado ao futebol. Foi durante muitos anos professor de Educação Física em Amarante, a terra onde nasceu e onde pedurou as chuteiras.

Atualmente é presidente do Centro Cultural de Amarante, onde está a desenvolver um projeto musical de apoio a crianças com dificuldades de aprendizagem.

O convidado do Entrelinhas quis ainda comentar a atual situação do Sporting e tece fortes críticas ao presidente dos leões, Bruno de Carvalho.

"Conheci grandes presidentes, como Pinto da Costa, e questiono-me como é possível um dirigente deste nível dar tiro nos pés?", referindo que, face à turbulência que o Sporting atravessa, o Desportivo das Aves "fica com mais hipóteses" de conquistar a Taça de Portugal.

Ouça a entrevista completa de Taí no Entrelinhas