Entrelinhas

"O futebol português está tóxico"

O programa Entrelinhas está de regresso à TSF e o convidado é o treinador Carlos Carvalhal.

"Put all the meat in the barbecue". A frase ficou eternizada por um português que passou pelo País de Gales, onde deixou a sua marca. Falamos de Carlos Carvalhal, que nasceu em Braga há 52 anos e foi no Sporting local que se formou como jogador. Apesar de ter 1,78 de altura, competia como defesa central. Mas foi como treinador que ganhou visibilidade em Portugal e no Mundo.

Antes da aventura em Inglaterra, passou pelo Dubai, Turquia, Grécia. Em Portugal, treinou o Vitória de Setúbal, onde conquistou uma Taça da Liga. Orientou ainda equipas como o Sporting, Belenenses, Beira-Mar, Marítimo, Leixões e Desportivo das Aves.

Entrevistado por João Ricardo Pateiro no programa Entrelinhas , Carlos Carvalhal defende que o clima do futebol português não é o melhor.

"Não posso dizer que sou um grande admirador do futebol português nesta altura porque estaria a mentir. Está muito tóxico para aquilo que é a vida normal das pessoas", considera o treinador que passou os últimos anos na Premier League e no Championship.

Sem clube desde o final da temporada passada, Carvalhal garante que tem os seus objetivos bem definidos, revelando que é em terras de sua majestade que prefere continuar a trabalhar.

"Era um sonho de pequenino, quando vi-a a final da Taça de Inglaterra, ao sábado à tarde ainda a preto e branco. Fez sempre parte do meu imaginário, eu estar naqueles palcos. Já tive o prazer de disputar uma final em Wembley".

Apesar da vontade em continuar no estrangeiro, Carlos Carvalhal assume-se como um grande patriota. "Sou 100% português, 100% seleção nacional. Já chorei a ouvir o hino", mas critica o momento do país, apontando o dedo à corrupção.

"Nós não sabemos o valor que temos. Infelizmente temos níveis de corrupção altíssimos a nível política, o que é uma manifesta facada na personalidade e no estatuto que o português tem como trabalhador e competente no mundo".

Nesta entrevista, Carvalhal explicou ainda que acompanha de perto o campeonato português. No último fim de semana, assistiu ao clássico na Luz. "Senti que o Benfica estava mais perto de vencer".

Questionado sobre a possibilidade de vir a treinar um grande em Portugal, Carvalhal afirma que, se o convite chegar, estará preparado. "Se me convidarem um dia, eu pondero. Dizer que quero não vou dizer. Dizer se estou preparado, digo que estou hiper-preparado. Treinei o Sporting há dez anos. Não sou o mesmo Carlos Carvalhal", frisou.

  COMENTÁRIOS