Benfica

"O treinador do Porto disse aquilo que disse, assuma as suas responsabilidades"

Rui Vitória, treinador do Benfica, falou esta sexta-feira em antevisão ao Sp. Braga-Benfica (sábado, 20h30) e não deixou de dar resposta a Sérgio Conceição.

Rui Vitória respondeu esta sexta-feira a Sérgio Conceição, que, segundo o próprio, utilizou "um exemplo menos feliz" em relação ao treinador do Benfica.

"O treinador do Porto disse aquilo que disse, assuma as suas responsabilidades", começou por dizer o treinador dos encarnados. "Eu não passo determinados limites. Eu sou um treinador que se há algo que me prezo: sou um treinador de uma equipa grande, mas sou uma pessoa perfeitamente normal, que fez um percurso desde as segundas divisões até cá acima, subindo a pulso, agarrando as oportunidades como muitos treinadores que há aí por esse país fora, agarrando as oportunidades... Deixando amigos em todos os clubes, atingindo objetivos em quase todos os clubes e cheguei aqui desta maneira. E é assim que vou continuar a ser."

E continuou: "Não altero os meus limites, não altero a minha postura, não altero a minha maneira de ser e falo quando eu quero, da forma que quero, mas sei, e é bom que fique claro para toda a gente, o clube que represento, sei a importância que tem o meu cargo e sei as responsabilidades que tenho. Nesse sentido não aceito de uma forma leviana que alguém diga que se faltou ao respeito e que haja respeito entre os treinadores. Da minha parte houve sempre e haverá sempre respeito entre os treinadores".

Rui Vitória, que falava na antevisão do Sp. Braga-Benfica (sábado, 20h30), subiu o tom e deixou uma garantia: "Uma coisa é divergência de opinião sobre um jogo e sobre outro, outra coisa é achar-se que se ganha de outras formas ou que se quer ganhar e que vale tudo. Da minha parte, não vale. Eu posso ganhar, posso perder, aliás aqui no Benfica já estive a ganhar, já estive a perder, já subi tom de voz, já baixei... Mas houve uma coisa que ninguém me diz na minha cara: que passei limites de alguma coisa em relação à minha função de treinador. Não ultrapassei, por isso não aceito que ultrapassem comigo".