Kathryn Mayorga

Autoridades norte-americanas pedem ADN de Cristiano Ronaldo a Itália

Investigadores pretendem comparar material genético do jogador com o encontrado no vestido de Kathryn Mayorga.

A polícia de Las Vegas, nos Estados Unidos, solicitou uma ordem judicial para a obtenção do ADN de Cristiano Ronaldo, para o comparar com o encontrado num vestido de Kathryn Mayorga, que o acusa de violação.

Segundo o Wall Street Journal, que esta quinta-feira cita fontes próximas do processo, as autoridades norte-americanas requereram a um juiz italiano, atual país de residência do português, desde que passou a ser jogador da Juventus, que permita recolher uma amostra do ADN, para ver se corresponde ao do caso da alegada violação de 2009.

O advogado do jogador português, Peter Christiensen, apesar de não ter confirmado inicialmente a informação, acabou por a admitir: "O senhor Ronaldo manteve sempre, como atualmente, que o que aconteceu em Las Vegas em 2009 foi consensual, pelo que não será surpresa a presença de ADN, nem também o facto de a polícia ter feito este pedido como parte da sua investigação."

Segundo Kathryn Mayorga, o jogador da Juventus pagou-lhe 375 mil dólares para manter o encontro entre ambos em segredo. A defesa de Cristiano Ronaldo, através do advogado Peter Christiensen, sustenta que o que se passou foi por mútuo acordo.

Já a versão da acusação refere que o jogador, que estava de férias em Las Vegas, conheceu Mayorga num clube noturno e convidou-a para uma festa numa suíte, onde viria a abusar sexualmente dela, apesar dela lhe pedir para parar. No final do ato, Ronaldo terá pedido desculpa e dito que habitualmente é um cavalheiro.

  COMENTÁRIOS