LGBT

Portugal estreia-se nos Gay Games e conquista 11 medalhas

A edição dos Gay Games de Paris chegou ao fim, em 2022 serão realizados em Hong Kong.

Chegou ao fim a edição dos Gay Games que decorreram em Paris. Os atletas portugueses estrearam-se nesta edição e conquistaram 11 medalhas. A prova olímpica LGBT serviu de teste para Paris que recebe os Jogos Olímpicos em 2024.

Na natação, a atleta brasileira Mariane Valêncio juntou-se a Portugal e conquistou uma medalha de ouro nos 100 Livres, uma de prata nos 100 Bruços e uma de bronze nos 50 Costas.

O nadador Jonas Grancha arrecadou quatro medalhas: uma de prata nos 1.500 Livres, três medalhas de bronze nos 200 Bruços, 400 Estilos e 4x100 Estilos com João Boavida, Miguel Patrício e Álvaro Cardoso.

Por sua vez, o atleta e treinador Álvaro Cardoso conquistou outras duas medalhas de bronze em 200 Costas e 5km Águas Abertas.

O tenista norte-americano Nathan Mertz, com origens portuguesas, ficou em segundo lugar conquistando uma medalha de prata.

Pedro Ferraz recebeu a segunda medalha de ouro para Portugal na prova de Estafetas. Para além das medalhas, houve boas classificações, conta-nos o atleta.

"Nós viemos cá, temos resultados, temos boas pontuações, 11 medalhas, e para além das medalhas temos bons lugares. São jogos abertos a todos, que não têm mínimos, mas há grandes atletas. Há atletas olímpicos aqui e, no caso da corrida, há tempos praticamente olímpicos", descreve o atleta Pedro Ferraz.

Os Gay Games não representaram apenas o desporto e a diversidade, receberam atletas de países onde a homossexualidade ainda é considerado um crime, confirma Pedro Ferraz. "Penso que haverá algumas pessoas oriundas de África, mas que estão na Europa. É mais fácil (competirem cá) pela aceitação social, que será mais fácil".

Esta edição, que recebeu 13.000 participantes de 91 países, foi um teste a Paris, que recebe os Jogos Olímpicos em 2024. Um teste com sucesso, descreve o atleta e treinador Álvaro Cardoso. "Acredito que para os Jogos Olímpicos de 2024 eles vão ter de criar umas infraestruturas muito maiores do que nós tivermos, nomeadamente, umas piscinas e uns pavilhões",garantiu.

"A entrada do estádio foi fabulosa. Aquela sensação de entrar e de ficarmos todos arrepiados quando vemos o nome de Portugal. Fomos uma delegação bastante grande e fomos apoiados pelos outros países e isso é muito positivo. Sair daqui com medalhas é fantástico, como é óbvio, mas agora é pensar nos próximos campeonatos e trazer ainda mais medalhas, cada vez mais e melhores", descreveu o nadador Álvaro Cardoso.

Em Paris, foi hasteada a bandeira de Hong Kong que recebe os Gay Games em 2022.

  COMENTÁRIOS