Duas atletas suspensas por suspeitas de racismo. Queixa já está no Ministério Público

Pela primeira vez, acusações de racismo envolvendo atletas de uma competição oficial podem chegar a tribunal. Uma jogadora do Boavista acusa duas adversárias de comentários racistas e quer levar o caso à justiça. As duas atletas foram entretanto suspensas.

Milene Bispo, jogadora do Boavista e internacional brasileira, apresentou uma queixa no Ministério Público do Porto contra Catarina Lopes e Maria Malta. De acordo com a atleta, as jogadoras do A-dos-Francos insultaram-na e acabaram expulsas pela árbitra.

Milena conta que o primeiro incidente aconteceu aos 45 minutos do jogo da 19.ª jornada do campeonato, que terminou com a vitória por 3-2 das "axadrezadas". "Durante um lance em que fui dividir a bola com uma adversária, ela acabou por cair em cima do meu tornozelo. Eu desequilibrei-me e pisei-a. Ela levantou-se muito alterada a insultar-me", acabando por ser expulsa, explicou Milene Bispo, em declarações à TSF.

Aos 89 minutos, repetiram-se os insultos. "Foi no meio-campo, quando fui tirar uma bola e acabei por tocar na adversária. O lance seguiu, sem falta, e fui novamente chamada de "preta". A árbitra mostrou-lhe logo o cartão vermelho e disse "racismo é intolerável", contou a futebolista brasileira.

Apesar disto, a atleta manteve "a cabeça fria, porque o resultado era importante para a equipa." A internacional brasileira, que chegou a Portugal em dezembro de 2018, afirma que nunca sentiu racismo no futebol e diz-se revoltada por "não ter recebido qualquer pedido desculpa por parte das adversárias", contou à TSF emocionada. Milene decidiu avançar, esta quarta-feira, com uma queixa-crime no Ministério Público para que as duas adversárias sejam responsabilizadas judicialmente.

Esta quinta-feira, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol anunciou um processo disciplinar às duas atletas do A-dos-Francos, que foram também suspensas por 30 dias.

Catarina Lopes, internacional pela seleção portuguesa, foi notícia na passada semana, ao tornar-se a primeira mulher a orientar uma equipa de homens na distrital de Leiria. Maria Malta, de 15 anos, chegou este ano à primeira equipa do A-dos-Francos.

Ouvido pelo Jornal de Noticias, o presidente do A-dos-Francos, José Domingos, garantia que as atletas tinham sido expulsas por outros motivos. "Uma atleta foi expulsa porque foi pisada, por quem fez a queixa, e reagiu. A outra envolveu-se numa confusão com a mesma atleta. Parece que houve uma conversa que desconhecemos. Só vendo o relatório da árbitra. Temos atletas de cor e nunca tivemos problemas. Nem eu admitia. Se o caso for verdade, vou ter uma conversa com elas."

Notícia atualizada às 17h23

Continuar a ler