Lusitano de Évora

"Têm medo que a gente invada o campo!"

Os adeptos do Lusitano de Évora não se conformam que o jogo com os dragões se realize em Lisboa. O clube alentejano oferece o transporte, mesmo assim, há quem prefira ficar em casa.

Em Évora, junto à fonte da Praça do Giraldo, as conversas vão todas desaguar no jogo desta noite, entre o Lusitano e o FC Porto.

"Está mal feito. O campo do Lusitano é ali, onde devíamos de jogar. Já vimos campos piores. Ainda agora a seleção nacional jogou em relva sintética. Estão com medo que a gente invada o campo. Não há lá arames e estivemos 15 anos na 1ª Divisão", lamenta António Apolónio, adepto do clube alentejano.

"Isto é só por causa dos três grandes, que mandam no futebol. Fazem esta palhaçada do sorteio para irem jogar aos campos dos pequenos e depois os clubes têm que fazer uma despesa grande", critica Filipe Rebocho, sócio do Lusitano de Évora há mais de 60 anos.

O clube alentejano esteve na 1ª divisão entre 1952 e 1966. Os adeptos lusitanistas não esquecem a vitória sobre os dragões para a Taça de Portugal, por 2-0, no estádio das Antas, em 1955.

"O FC Porto está com medo de jogar com a gente porque já os eliminámos nas Antas", lembra António Apolónio.

Agora os tempos são outros e o velhinho Campo Estrela, casa do Lusitano, perdeu o brilho de outras épocas. A Federação Portuguesa de Futebol chumbou o estádio e o presidente do Lusitano de Évora recorda os motivos.

"Tínhamos cinco dias para implementar todas as exigências, que iam desde, colocar bancadas amovíveis, instalar cadeiras em todos os sítios, melhorar o relvado e meter uma iluminação nova para a transmissão televisiva. As exigências eram muitas e financeiramente era complicado para nós", confessa Luís Valente, presidente do clube.

O Estádio do Restelo é a casa emprestada ao Lusitano de Évora para receber o FC Porto. O clube alentejano oferece o transporte até ao palco do jogo. São 113 km até Lisboa, mas há quem prefira ficar em casa.

"Tenho medo de me perder em Lisboa. A última vez que estive lá foi quando fui para a Guiné", diz o eborense, António Apolónio.

"A Lisboa não vou, mas se o jogo fosse cá, ia de certeza absoluta", revela o sócio do Lusitano, Filipe Rebocho.

O lema do Lusitano Ginásio Clube é "fazer forte, fraca gente".

A equipa do distrital de Évora joga para a 3ª eliminatória da Taça de Portugal, com o FC Porto, esta sexta-feira, às 20h15, no Estádio do Restelo, em Lisboa.

  COMENTÁRIOS