Mundial 2018

Ramadão é um problema para o selecionador do Egito

Selecionador está preocupado com a eventualidade de os jogadores treinarem em jejum durante o Ramadão. Solução pode passar por treinar à noite ou pedir um édito religioso.

O selecionador do Egito abordou o desafio que as celebrações do Ramadão podem ser na preparação da equipa para o campeonato do mundo de futebol, na Rússia. Os egípcios celebram este jejum ritual no nono mês do calendário islâmico, que irá colidir com as últimas semanas de preparação para o Mundial.

"Se tiver que tratar disto de forma pragmática, vou ter de virar os dias ao contrário. Talvez os jogadores egípcios estejam habituados a isto a fazer isto", disse o técnico natural da Argentina à televisão egípcia.

"Como é que vou conseguir treinar os jogadores durante o dia sem que eles possam comer ou beber água? Vou treiná-los às onze da noite, meia-noite, quando comerem depois do pôr do sol?", questionou Heitor Cuper.

Assumindo que não irá interferir pois tem "total respeito por todas as crenças", o selecionador do Egito diz que cabe a cada jogador decidir se pretende cumprir a tradição religiosa. Segundo a Fox News, a federação de futebol do Egito poderá submeter um pedido de édito religioso aos maiores teólogos do país para que os futebolistas eleitos para o Mundial estejam isentos de cumprir o jejum.

Durante o Ramadão, os devotos muçulmanos abstêm-se da comida, água e relações sexuais durante o dia. Nos meses lunares, que este ano serão em maio e junho, os crentes cumprem este teste de resistência de 15 ou 16 horas, enquanto o sol está de pé. Os muçulmanos só podem quebrar o jejum no iftar, uma refeição tradicionalmente grande que só acontece após o pôr-do-sol. Pouco antes do amanhecer, estes comem outra refeição.

O selecionador do Egito também falou de Portugal. A seleção nacional vai defrontar o Egito no próximo dia 23 de março, em Zurique, na Suíça, em jogo de preparação. Em conferência de imprensa, Hector Cuper considera que o jogo com Portugal será "um amigável importante" e que o adversário está "estudado", com especial atenção para Cristiano Ronaldo.

Hector Cuper, tomou o comando da seleção de futebol do Egito em 2015. O técnico argentino levou a equipa até à final da Taça das Nações Africanas, no ano passado, onde perdeu por 2-1 diante dos Camarões.

Recorde-se que será a primeira participação do Egíto em 28 anos num mundial de futebol. Está inserido no grupo A com a anfitriã Rússia, a Arábia Saudita e o Uruguai.

  COMENTÁRIOS