Jogos em canal aberto? "Tentámos que o Governo injetasse dinheiro nos generalistas"

Pedro Proença lembra que é preciso evitar aglomerações de pessoas, e que esta é uma altura difícil para os portugueses.

O presidente da Liga de Clubes continua a defender a transmissão dos jogos de futebol em sinal aberto. Pedro Proença encontrou-se com o presidente da Câmara Municipal do Porto e à saída da reunião lembrou que a ideia não é só defendida pela Liga de Portugal, mas também foi discutida pela Bundesliga e pela Liga italiana.

"É fácil perceber aquilo que se pretende: vamos ter jogos à porta fechada, e tentámos que o Governo injetasse dinheiro nos canais generalistas, para que estes adquirissem conteúdos aos operadores", adiantou Pedro Proença.

O dirigente justificou a medida para que se evitasse aglomerações de pessoas, e também para dar a oportunidade a todos os portugueses de assistirem aos restantes jogos do campeonato de futebol, numa altura "particularmente difícil".

O Cova da Piedade juntou-se esta segunda-feira ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de Clubes e desafiou Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo.

Questionado sobre a posição dos clubes lisboetas, Pedro Proença afirmou que o momento é difícil, e "há alturas em que temos clubes mais satisfeitos, e outros menos satisfeitos".

Em relação aos pedidos de demissão que se fazem ouvir, Pedro Proença lembra que a decisão pertence às sociedades desportivas. "O presidente da Liga só continua até que os clubes queiram", refere.

Pedro Proença indica ainda que a responsabilidade, neste momento, é de retomar as competições profissionais. "Há clubes em grandes dificuldades e que necessitam de retomar a atividade profissional, e foi isso que fizemos".

O atual presidente da Liga de Clubes recordou que há um ano foi reeleito com 96% dos votos, e que o retomar da atividade no dia 3 de junho é um motivo de grande satisfação.

O descontentamento dos principais clubes profissionais em Portugal subiu de tom, depois de Pedro Proença enviar uma carta ao Presidente da República e ao ministro da Economia a solicitar apoio para que os restantes jogos da Liga fossem transmitidos em sinal aberto.

O futuro de Pedro Proença à frente do organismo vai ficar definido numa Assembleia Geral em junho. Na semana passada, o ex-árbitro informou os clubes que solicitou ao presidente da Assembleia Geral a marcação de uma reunião magna para o dia 7 de junho.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de