Jorge Jesus reparte responsabilidade de vencer entre Benfica e FC Porto

O treinador dos encarnados lembra que "nestes jogos não conta quem está mais à frente ou mais atrás" na classificação. Jesus considerou que vai ser um desafio "bem disputado e equilibrado".

O treinador do Benfica repartiu esta quarta-feira com o FC Porto a responsabilidade de vencer o encontro de quinta-feira, da 31.ª jornada da I Liga de futebol, apesar de saber que o rival "já não pode ganhar mais título nenhum".

Em conferência de imprensa de antevisão do encontro no Estádio da Luz, Jorge Jesus lembrou que "nestes jogos não conta quem está mais à frente ou mais atrás" na classificação e recusou quantificar a importância que o 'clássico' assume para os objetivos de ambos os rivais.

"É importante para as duas equipas. Cada uma com os mesmos objetivos de poder ficar diretamente ligado à 'Champions' e uma ainda com a possibilidade de sonhar que pode chegar ao primeiro lugar. Portanto, aquilo que entendo é 50%, não vejo que o FC Porto tenha mais responsabilidade em função daquilo que pode ser atingido em termos desportivos", disse o técnico dos 'encarnados', no centro de estágio, no Seixal.

Este será, no entanto, o terceiro jogo entre os dois clubes e a última oportunidade para o Benfica vencer o adversário nesta época, uma vez que perdeu por 2-0 o desafio da Supertaça, em dezembro, e empatou 1-1 no encontro da primeira volta, no Estádio do Dragão.

Por isso, Jesus considerou que vai ser um desafio "bem disputado e equilibrado", mas frisou que "o Benfica está superconfiante, principalmente pelo que tem feito na segunda volta" do campeonato, e explicou, depois, porque é que a sua equipa está "muito melhor" do que nos encontros anteriores com os 'dragões'.

"Neste momento os jogadores do Benfica estão há mais tempo comigo, já têm as ideias mais dentro do que queremos e, por isso, estamos muito melhor do que nas outras vezes que defrontámos o FC Porto", analisou.

O técnico deixou ainda a garantia de que Taarabt e Darwin Núñez "vão estar no jogo a não ser que aconteça alguma coisa" e descartou a hipótese de o mesmo poder acontecer com Corona, do FC Porto, que saiu lesionado do último encontro, frente ao Famalicão.

"Pela minha experiência como treinador, um jogador que sai do jogo como ele saiu, com sintoma muscular, passados três ou quatro dias estar a jogar, é impossível. Se for verdade. Se não for, pode ser possível", ressalvou.

Segundo Jorge Jesus, trata-se de uma baixa de 'peso' para o FC Porto, uma vez que "Corona é um jogador de referência" nos 'azuis e brancos', mas que, no entender do treinador benfiquista, não vai interferir na estrutura tática da equipa adversária.

"Penso que vai ser o [Luis] Díaz e a estrutura do FC Porto, sai o Corona, entra o Díaz, e mantêm-se os mesmos que têm jogado, se nenhum deles se lesionar", avaliou.

O Benfica recebe o FC Porto na quinta-feira, às 18:30, em encontro da 31.ª jornada da I Liga de futebol, que será decisivo para os objetivos de ambos os clubes.

A equipa de Jorge Jesus, terceira classificada, persegue o segundo lugar, que dá acesso direto à Liga dos Campeões, a quatro pontos dos 'dragões', que ainda ambicionam alcançar a liderança, ocupada pelo Sporting, do qual estão a seis pontos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de