Manifestantes antivacinas em protesto para apoiar Djokovic

Os manifestantes misturaram-se com os ativistas que se reúnem regularmente à volta do Hotel Park para exigir os direitos de mais de 30 requerentes de asilo que se encontram detidos no local.

Mais de uma centena de apoiantes do tenista Novak Djokovic, incluindo membros da comunidade sérvia e antivacina, protestaram esta sexta-feira à porta do hotel em Melbourne, Austrália, onde o número um mundial se encontra desde quinta-feira.

Os manifestantes, alguns com a indumentária igual à usada por tenistas, misturaram-se com ativistas que se reúnem regularmente à volta do Hotel Park para exigir os direitos de mais de 30 requerentes de asilo que se encontram detidos no local há meses.

Enquanto manifestantes sérvios agitavam bandeiras do seu país, outros ativistas antivacinas manifestaram o seu apoio a Djokovic, que aguarda uma decisão sobre a sua deportação por um tribunal australiano, depois de as autoridades terem revogado o seu visto por não ter sido vacinado contra a Covid-19.

Antes das celebrações do Natal ortodoxo, o reitor da Igreja Ortodoxa Sérvia da Santíssima Trindade de Melbourne, Milorad Locard, disse ter pedido às autoridades que autorizassem um padre a visitar Djokovic, que normalmente celebra as festas em Melbourne, de acordo com a emissora pública australiana ABC.

"Tudo o que rodeia este evento é terrível e estamos muito desapontados com a forma como [o primeiro-ministro australiano Scott] Morrison o tem tratado. Que ele [Djokovic] tenha de passar o Natal num centro de detenção é impensável", criticou.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de