Tudo resolvido em família. FC Porto vence Marítimo com penálti nos descontos

Veja os golos. Dragões estão agora dez pontos do Sporting e recebem os leões no sábado. Madeirenses são o último classificado.

O FC Porto venceu, esta segunda-feira, o Marítimo por 2-1 na Madeira e recuperou o segundo lugar do campeonato, colocando-se a dez pontos do líder Sporting, que recebe no próximo sábado. Os dragões ultrapassam também o SC Braga na classificação, somando agora mais um ponto do que a equipa comandada por Carlos Carvalhal.

No Funchal, foi Francisco Conceição - filho do treinador do FC Porto - quem mudou o rumo da partida ao conquistar uma grande penalidade no minuto 90 da partida. Otávio converteu o castigo máximo depois dos golos de Uribe e Léo Andrade na primeira parte.

A jogar com três centrais, os madeirenses optaram por defender num 5-4-1 encabeçado por Joel Tagueu e atacar numa espécie de 3-4-3, com Edgar Costa e Correa a assumirem os espaços interiores do ataque Winck e Hermes a assumirem as alas, em linha com Pelágio e Jean Irmer.

A primeira incursão perigosa do FC Porto chegou aos 12 minutos, quando Zaidu tirou Winck da frente e cruzou ao primeiro poste. René Santos, num corte em desequilíbrio, acabou por fazer a bola passar a pouco centímetros da própria baliza.

Dado o aviso, os dragões puseram-se na frente. Sérgio Oliveira bate um livre a partir do lado esquerdo do ataque e envia a bola para o segundo poste. Depois de uma carambola em que a bola saiu da grande área e depressa voltou à pequena área, Uribe acabou por receber de Taremi e atirou a contar (14'). É o terceiro golo do colombiano esta época.

Durou pouco a vantagem. O Marítimo beneficia de um pontapé de canto do lado direito do seu ataque e a bola acaba por chegar aos pés de Léo Andrade, que só precisou de encostar (21'). O lance foi revisto pelo VAR durante largos minutos, mas acabou por ser validado: o brasileiro estava em jogo por 90 centímetros e fez, assim, o seu segundo golo pelos maritimistas.

O FC Porto voltou a criar muito perigo à passagem do minuto 33', quando Amir respondeu com uma defesa dupla a remates de Zaidu e Taremi.

Sem outras grandes hipóteses de golo para qualquer uma das equipas, o jogo começava a ficar marcado por muitas quezílias entre jogadores, com Manafá e Hermes a verem amarelo depois de um desentendimento.

Correa também chegou a abrir uma ferida no tornozelo de Pepe, que ficou a perguntar-lhe "O que é isto?".

O intervalo não trouxe grandes novidades nem qualquer substituição. O FC Porto continuava a assumir as principais despesas do jogo, mas pouco conseguia fazer para chegar com perigo à baliza madeirense. Conceição escolheu abanar a equipa: lançou Francisco Conceição e Otávio para os lugares de Marega e Sérgio Oliveira. No Marítimo, Macedo rendia Edgar Costa.

O jovem extremo português foi quem entrou melhor na partida, com muitas acelerações e mudanças de direção, algo que começava a faltar aos dragões para voltarem a criar perigo.

Milton Mendes aproveitou para responder e lançou Alipour e Tamuzo para os lugares de Tagueu e Correa. Havia agora três iranianos em campo: Amir e Alipour de um lado, Taremi do outro.

Foi precisamente um dos três que criou perigo aos 82'. Alipour pegou na bola ainda no meio-campo e disparou em direção à baliza, com Pepe a tentar apanhá-lo, mas sem sucesso. Valeu Marchesín. Por duas vezes. No pontapé de canto que daí resultou, a bola vai ao poste após cabeceamento de Zainadine e depois é o argentino quem impede o 2-1 para os madeirenses a remate de Léo Andrade.

Toni Martínez e Bambock já estavam, por esta altura, em campo pelas respetivas equipas. Mas era Francisco Conceição quem continuava a mexer com o jogo, tanto que aos 90' conquistou mesmo uma grande penalidade.

Otávio assumiu a marcação da grande penalidade e colocou a bola fora do alcance de Amir. Estavam resgatados os três pontos.

Onze do Marítimo: Amir; Zainadine, Léo Andrade e René Santos; Cláudio Winck, Jean Irmer, Pelágio e Marcelo Hermes; Edgar Costa (C), Joel Tagueu e Correa.

Onze do FC Porto: Marchesín, Manafá, Pepe (C), Mbemba, Zaidu, Uribe, Sérgio Oliveira, Luis Díaz, Corona, Marega e Taremi

O Marítimo vem de cinco derrotas consecutivas para o campeonato, mas um triunfo permite-lhe deixar o último lugar e ultrapassar cinco adversários: Boavista, Famalicão, Farense, Gil Vicente e Portimonense.

O jogo é arbitrado por Vítor Ferreira, assistido por Valdemar Maia e Paulo Miranda. O VAR é Nuno Almeida.

Suplentes do Marítimo: Caio Secco, Rafik Guitane, Tamuzo, Bambock, Macedo, Söderström, Sassá, Karo e Alipour.

Suplentes do FC Porto: Diogo Costa, Grujic, Otávio, Felipe Anderson, Toni Martínez, Evanílson, Nanu, Malang Sarr e Francisco Conceição

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de