Mészáros: "Não temos muitas hipóteses, mas é futebol... tudo pode acontecer"

O antigo guarda-redes internacional húngaro, de personalidade carismática, que jogou na década de 80 em Portugal, promete que a seleção magiar "vai lutar muito", mas admite que ganhar um jogo na fase de grupos já seria bom.

Ferenc Mészáros atira a famosa frase usada vezes sem conta no futebol - "tudo pode acontecer" - para refugiar-se numa esperança quase nula que tem na Hungria, a seleção por quem vai torcer no Euro 2020 e que, por ter ditado o sorteio, está no caminho de Portugal, da Alemanha e da França. A TSF entrevistou o ex-guardião do Sporting, do Farense e do Vitória de Setúbal, que vive em Budapeste com a esposa, não muito longe do estádio onde vai jogar-se o Hungria-Portugal, mas não procurou um bilhete para assistir ao vivo ao jogo. Os 71 anos de idade são a principal razão.

A Hungria joga em casa, a cidade de Budapeste está animada, mas Mészáros não tem muita esperança que a seleção passe a fase de grupos: "As pessoas sabem que não temos muitas hipóteses. O nosso grupo é muito forte." [Mas tem alguma esperança?] "Um bocadinho só, porque é futebol e no futebol pode acontecer tudo", atira o antigo internacional húngaro.

Pelo menos, vontade da seleção magiar não vai faltar, promete Mészáros: "A Hungria tem uma boa equipa, que vai lutar muito, e quando puder ganhar pontos, vai ganhar." [O que é que acha que a Hungria pode fazer neste Europeu?] "Para já, os três jogos e depois vamos ver", responde, entre risos, Mészáros, assumindo ainda que ganhar um jogo já não era mau.

Se a Hungria não tivesse perdido Szoboszlai, a conversa podia ser outra: "Ficou mais fraca. O Szoboszlai é muito bom jogador", admite o antigo guardião, que, ainda assim, recorda que a Hungria conseguiu empatar com Portugal no último Europeu, em França.

Mészáros diz que está ansioso pelo jogo. O ex-guarda-redes conta à TSF que não perde um jogo da seleção da Hungria, mas também não perde nenhum de Portugal. Quanto à seleção portuguesa, o húngaro avisa que Portugal está longe de ser só Cristiano Ronaldo: "Não é só! Portugal tem uma boa equipa, tem muito bons jogadores e, nesta altura, está muito forte."

Com 71 anos, o antigo guarda-redes do Sporting e do Vitória de Setúbal vive com a mulher, em Budapeste, mas não arranjou bilhete para o jogo: "Não arranjei ainda... mas vai estar muita gente no estádio", atira Mészáros.

O estádio vai estar cheio, pelo que o antigo carismático guarda-redes, agora mais débil na saúde e pacato nas palavras, vai ver o jogo pela televisão.

A Covid-19 não é um receio. Mészáros já está vacinado: "Já tomei tudo. Já fui vacinado duas vezes!". Ainda assim, não quis encontrar-se com a TSF, preferindo fazer a entrevista à distância. O húngaro tem um dia a dia sossegado e gosta, sobretudo, de passar tempo com a família: "Tenho muitos netos. Tenho cinco netos e gosto de estar com eles, brincar com eles. Ando bem."

Simpático, simples na comunicação, provavelmente para não se aventurar num português há muito não utilizado, Mészáros confessa que sente saudades de Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de