Montanhas Mágicas com percurso de 280 km para amantes do ciclismo e caminhadas

A Grande Rota das Montanhas Mágicas representa um investimento de 400 mil euros, apoiado pelo Turismo de Portugal.

As Montanhas Mágicas, que abrangem sete concelhos do norte e centro do país, têm desde a última sexta-feira uma grande rota, destinada aos adeptos do BTT e dos percursos pedestres.

O trilho de 280 quilómetros une várias localidades e monumentos, através de quatro serras e seis rios.

A rota arrancou agora, mas já está a despertar atenções de quem gosta de andar de bicicleta. É o caso de Joel Santos e de um grupo de cinco amigos, que já fizeram parte do percurso que atravessa os concelhos de Arouca, Castelo de Paiva, Castro Daire, Cinfães, São Pedro do Sul, Sever do Vouga e Vale de Cambra.

"O engraçado do ciclismo, o gosto e o prazer é obtermos desafios e isto vai ser um desafio. Isto faz-se por etapas, 280 quilómetros, com um desnível acumulado de 10 mil negativos, o que acaba por ser muito exigente", diz.

Natural de Vale de Cambra, Joel Santos pratica BTT há 15 anos, sobretudo aos fins de semana e em grupo. Considera que este tipo de modalidade ajuda a desenvolver os territórios.

"No ciclismo a energia somos nós, ou seja, temos que ir parando para abastecer e acabamos por ajudar estes negócios da serra", refere.

A grande rota é circular e pode ser percorrida de bicicleta e a pé. É um projeto da ADRIMAG - Associação de Desenvolvimento Regional Integrado das Serras de Montemuro, Arada e Gralheira.

"Já temos aqui algumas atrações que permitem que as pessoas venham, fiquem durante alguns dias e estamos em crer que a rota vai ajudar a que os ciclistas e pedestrianistas possam ficar durante mais tempo, trazer a sua família e diversificar a oferta turística que temos aqui no território", afirma o coordenador da organização.

João Carlos Pinho acredita que cada visitante pode vir a permanecer até uma semana nas Montanhas Mágicas para percorrer os trilhos que estão devidamente sinalizados e que podem ser consultados numa aplicação criada para o efeito. Quem quiser até pode fazer pequenos desvios para apreciar o património existente nas redondezas.

"A ponte 526 de Arouca, os Passadiços do Paiva, a Ecopista do Vouga", são alguns dos exemplos apontados pelo responsável.

A ADRIMAG acredita que a Grande Rota das Montanhas Mágicas vai tornar-se uma referência nacional para quem gosta de andar a pé e de bicicleta.

O projeto representa um investimento de 400 mil euros, apoiado pelo Turismo de Portugal

Na criação da rota, a ADRIMAG teve o apoio da Federação Portuguesa de Ciclismo e Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, que estão agora a tentar levar para os sete concelhos da região uma prova nacional ou internacional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de