Decisão nos penáltis. Portugal vence Cazaquistão e consegue final inédita no Mundial de futsal

Seleção nacional venceu Cazaquistão por 4-3 nas grandes penalidades depois de o jogo ter terminado empatado a duas bolas.

A seleção portuguesa de futsal qualificou-se esta quinta-feira pela primeira vez para a final do Mundial, na qual defrontará a campeã Argentina, ao vencer nas meias-finais o Cazaquistão, por 4-3, no desempate por grandes penalidades (2-2 no prolongamento), em Kaunas.

Os primeiros 20 minutos da primeira parte foram muito equilibrados, com Portugal a pressionar mais o Cazaquistão durante a maior parte do tempo, mas foi a equipa cazaque que conseguiu pôr a bola no fundo das redes lusas, com um golo que acabou por ser anulado, e ainda atirou um remate ao poste.

Aos 3 minutos da segunda parte, Miguel Ângelo assistiu bem o colega Pany, que estava completamente sozinho no corredor direito, para o primeiro golo de Portugal no jogo e o 6.º do jogador no Mundial.

Com a vitória para Portugal praticamente garantida, a 46 segundos do fim, o Cazaquistão marca o golo do empate, por intermédio de Nurgozhin. Um balde de água fria para a equipa lusa.

Logo no primeiro minuto do prolongamento, Douglas Jr. marcou, de livre direto, e colocou o Cazaquistão pela primeira vez em vantagem no jogo.

A pouco mais de um minuto do final da segunda parte do prolongamento, Pany desequilibrou na ala e a bola sobrou para Bruno Coelho rematar para o empate.

Com a decisão remetida para as grandes penalidades, Portugal acabou por vencer por 4-3. Com esta vitória, a seleção nacional, que já superou o melhor resultado de sempre na competição, o terceiro lugar alcançado em 2000, na Guatemala, vai disputar a final do Mundial de 2021 no domingo, frente à campeã Argentina. Um jogo cujo relato vai ser transmitido pela TSF às 18h de domingo. O Cazaquistão, por sua vez, defrontará o Brasil no jogo de atribuição do terceiro e quarto lugares.

Aos 2 minutos minutos, André Coelho bate um livre frontal que foi à figura do guarda-redes. Ricardinho, na recarga, remata fraco, sem perigo. Um minuto depois, susto para Portugal. O Cazaquistão marcou, mas o golo foi anulado porque a bola saiu das quatro linhas durante a jogada de ataque.

Aos 5 minutos, Tiago Brito queria surpreender o guarda-redes cazaque, que estava adiantado, mas Higuita parou o remate com o peito, sem grandes problemas. Três minutos depois, Zicky fez um bom remate, já dentro da área do Cazaquistão, mas Higuita fez uma grande defesa e festejou como se de um golo se tratasse.

Na sequência de um livre cobrado por Higuita surgiu uma grande oportunidade para o Cazaquistão, aos 10 minutos. Mas o remate saiu por cima. Aos 15 minutos, livre perigoso a favor de Portugal, aos 11 metros, em posição frontal. Foi Ricardinho quem bateu, tentando fazer uma jogada estudada, mas o lance não criou qualquer perigo.

A três minutos do final da primeira parte, Kaká, treinador do Cazaquistão, pediu o primeiro tempo do jogo. Um minuto depois, uma jogada de laboratório da equipa cazaque levou o esférico ao poste. Aos 19', a um minuto do final do jogo, André Coelho ameaçou à primeira e chutou à segunda, mas Higuita esticou os braços e defendeu. Parece fácil. Este guarda-redes brasileiro de 35 anos está a ser uma das figuras do jogo.

A 40 segundos do final da primeira parte, Orazov vê cartão amarelo por falta sobre Bebé. É a primeira sanção disciplinar do jogo. Douglas Jr., a 20 segundos do final da primeira parte, tentou o pontapé forte, mas a bola saiu muito alta.

Recomeça o jogo. Aos 3 minutos da segunda parte, Pany, de primeira, fez balançar as redes do Cazaquistão e colocou Portugal na frente. É o sexto golo do jogador português na prova. Três minutos depois, um remate tremendo de Zicky obrigou Higuita a mais uma grande intervenção.

Aos 12 minutos, Euclides, mais conhecido por Bebé, evitou o golo da igualdade. A cinco minutos do final, Erick quase empurrava para o golo, mas valeu ao Cazaquistão, mais uma vez, Higuita. O treinador cazaque pediu tempo técnico. Logo a seguir, Douglas Jr. a rodar na cara de Bebé, atirou ao lado. Uma jogada bastante perigosa para Portugal.

Douglas Jr., a dois minutos do final e com o campo aberto, fez um bom remate, mas Bebé, com uma grande defesa, evitou o golo da igualdade. A 46 minutos do final, a equipa do Cazaquistão chega à igualdade.

Começou a primeira parte do prolongamento. Douglas Jr., no primeiro minuto do prolongamento, bate Bebé de livre direto e coloca o Cazaquistão em vantagem. A 7 segundos do final, Knaub fez um remate perigoso, mas o guardião português evitou que o resultado se dilatasse.

Começou a segunda parte do prolongamento. A um minuto do final da segunda parte do prolongamento, Bruno Coelho, completamente sozinho, faz o empate. O jogo vai ser resolvido nas grandes penalidades.

Grandes penalidades:
Portugal 4-3 Cazaquistão

Cinco inicial de Portugal: Bebé; João Matos, Bruno Coelho, Ricardinho e Fábio Cecílio.

Cinco inicial do Cazaquistão: Higuita; Taynan, Dauren Nurgozhin, Albert Akbalikov e Douglas Jr.

Suplentes de Portugal: Vítor Hugo; André Coelho, Tomás Paçó, Afonso, Miguel Ângelo, Pany, Tiago Brito, Erick e Zicky.

Suplentes do Cazaquistão: Atantayev, Karagulov, Valiullin, Orazov, , Yessenamanov, Knaub, Tursagulov, Tokayev, e Sarbassov.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de