Nairo Quintana ganha a "Vuelta"

É o segundo triunfo do ciclista colombiano numa grande prova da modalidade, depois da vitória em Itália em 2014.

O colombiano Nairo Quintana (Movistar) alcançou hoje a sua segunda grande vitória, festejando em Madrid um anunciado triunfo na Volta a Espanha em bicicleta, que foi engrandecido pela réplica do maior nome do pelotão, Chris Froome.

Com a camisola vermelha no corpo desde a vitória (única) na décima etapa, obtida nos emblemáticos Lagos de Covadonga, Quintana resistiu a todos os ataques do britânico da Sky, vencedor da Volta a França, para quem os 37 quilómetros de contrarrelógio individual desta Vuelta foram curtos para as suas aspirações.

Os 104,1 quilómetros da 21.ª e última tirada, entre Las Rozas e Madrid, palco da segunda vitória de etapa do dinamarquês Magnus Cort Nielsen (Orica-BikeExchange), foram uma formalidade, mas também uma oportunidade para Quintana exibir a 'roja' perante os milhares de colombianos que celebravam à beira da estrada a segundo triunfo de um compatriota nesta prova, depois de Luis Herrera ter inscrito o seu nome no historial em 1987.

"É um sentimento genial, muito especial, um sonho que se tornou realidade. Lutei muitas vezes por tentar ganhar a Vuelta. Hoje de manhã, estava consciente de que era o vencedor, mas faltava cortar a meta e não podia levantar os braços antes disso", afirmou Quintana, no final da sua quarta participação na Volta a Espanha.

Vencedor da Volta a Itália em 2014, Quintana ganhou aos 26 anos a sua segunda 'grande', ficando a faltar-lhe o Tour, no qual foi segundo em 2013 e 2015 e terceiro em 2016. "É um sonho que ainda tenho em mente e espero que um dia se torne realidade. Vou continuar preparar-me, na esperança de lá chegar", sublinhou.

Depois de concluir a etapa de consagração no seio do pelotão, com o mesmo tempo de Nielsen (2:48.52), Quintana fechou a Vuelta com 1.23 minutos de avanço sobre Froome, triplo vencedor do Tour (2012, 2015 e 2016), que termina a corrida espanhola em segundo pela terceira vez.

"Com três vitórias em etapas, se incluirmos o contrarrelógio por equipas, esta Vuelta foi uma corrida bem conseguida para nós. Evidentemente, eu estava aqui para lutar pela vitória, mas após a época que tive, com o Tour, os Jogos Olímpicos, a Vuelta... É a melhor época da minha carreira até agora. Nairo foi grande, a sua equipa também e tenho de lhes tirar o chapéu", afirmou Froome, de 31 anos.

Entre os portugueses, Tiago Machado (Katusha), 92.º, e Sérgio Paulinho (Tinkoff), 95.º, terminaram a etapa a 25 segundos do corredor da Orica, ao passo que José Mendes (Bora-Argon 18) chegou em 128.º, a 1.27.

Mendes, campeão nacional, concluiu a prova em 54.º lugar da geral, a 2:05.38 horas, Machado fechou em 85.º, a 3:17.48, e Paulinho terminou em 115.º, a 3:48.36.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados