"Não dormi." Carlos Manuel recorda o golo que colocou Portugal no Mundial 86

Ao minuto 54, o antigo jogador deu a vitória a Portugal frente à República Federal da Alemanha. Esta terça-feira, apenas um golo basta para a seleção lusa estar uma vez mais no mundial. A TSF falou com o médio em dia de jogo decisivo.

No dia em que Portugal luta pela oitava presença no campeonato do mundo, o ex-jogador Carlos Manuel recorda o golo que a 16 de outubro de 1985 colocou a seleção no Mundial do México em 1986.

Na altura, Portugal dependia de uma vitória sobre a Alemanha RFA, uma seleção que não perdia em casa há 35 anos, mas o cenário começou a compor-se logo de início. A Checoslováquia, já sem hipóteses de qualificação, venceu a favorita Suécia por 2-1. Uma seleção que lutava com Portugal por uma vaga no mundial. Carlos Manuel lembra à TSF que essa boa notícia foi logo dada no autocarro, o que contribuiu para "uma sensação diferente" quando foram para o balneário. O antigo jogador recorda que "houve um compromisso muito grande entre todos, bastava o olhar entre todos". "Sentíamos que as coisas podiam correr bem", revela.

A profecia confirmou-se, já que na primeira parte não houve golos. Esse momento estava reservado para o minuto 54. Com uma perda de bola, Jaime Pacheco passa a bola a Carlos Manuel e o benfiquista colocou a bola na baliza da Alemanha. Um golo que resultou de "criatividade".

Até ao final foi sofrer, a Alemanha ainda enviou duas bolas aos ferros portugueses e o guarda-redes Bento fez grandes defesas. "Valeu essencialmente a capacidade de sacrifício", recorda o antigo jogador.

Na memória de Carlos Manuel está ainda a festa com a comunidade portuguesa na Alemanha, que foi de tal forma intensa que nem dormiu. "Acabei de jantar num hotel e estavam muitos emigrantes. Isto depois tem outros contextos, sobretudo políticos, com o passavam, que eram pisados. E sentirem-se naquele dia [a sensação] de poderem chegar ao seu emprego no outro dia e também gozarem um bocado. Sentirem-se satisfeitos", recorda.

Para hoje, só a Macedónia do Norte separa Portugal da oitava presença no campeonato do mundo de futebol. Numa antevisão ao jogo, Carlos Manuel diz que "somos mais fortes", mas com cautelas: "Mas isso não quer dizer nada, a Alemanha também era mais forte e nós ganhámos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de