"Não ganhem no domingo que vão ver." Jogadores do SCP relatam ataque a Alcochete

Os futebolistas leoninos começaram a ser ouvidos no Tribunal de Monsanto esta segunda-feira. O guarda-redes Luís Maximiano foi o primeiro e admitiu ter ficado com receio de se "tornar um alvo".

Luís Maximiano explicou, esta segunda-feira, em tribunal, que os invasores da Academia Sporting se dirigiram a alguns dos jogadores do plantel em particular. O guarda-redes de 20 anos recorda "a imagem de Vasco Fernandes a tentar fechar as portas", quando "foi empurrado e entraram indivíduos".

"Fiquei surpreendido. Estavam mascarados e dirigiram-se a Rui Patrício, William, Battaglia, Acuña ou Montero", recordou o jovem jogador dos 'leões'. "Vi alguém bater no Misic com um cinto. William levou com uma bolsa na cara", indicou. "Fquei bloqueado, sem reação", recorda.

Dentro do vestiário, deflagraram "pelo menos duas tochas". A segunda foi dirigida a Mário Monteiro, atingindo o elemento da estrutura de futebol do Sporting "na barriga".

Ao sair do balneário, "todos ao mesmo tempo", os agressores deixaram uma última mensagem: "Não ganhem domingo que vocês vão ver" (em referência ao jogo da final da Taça de Portugal).

"Fiquei com receio de que, quando chegasse a minha vez de jogar, fosse alvo também.", confessou Luís Maximiano.

O jogador garantiu que não foi agredido, mas relata "um murro no peito" a Rui Patrício, na altura um dos capitães da equipa, e diz ter visto um garrafão de água ser atirado na direção de Marcos Acuña, que foi depois pontapeado. Apesar das tentativas para fechar as portas, os responsáveis da equipa não conseguiram.

O jogador recordou o encontro na véspera do incidente com Bruno de Carvalho, que reuniu os jogadores do Sporting. Nessa reunião, o presidente dos 'leões' aludiu a Marcos Acuña, em particular, embora não tenha admoestado o jogador argentino, depois dos incidentes no final do jogo na Madeira. Os jogadores foram informados "à noite", por Vasco Fernandes, secretário técnico do Sporting, de que teriam treino do dia seguinte.

A 15 de maio de 2018, durante o primeiro treino da equipa de futebol do Sporting, após uma derrota na Madeira com o Marítimo, por 2-1, cerca de 40 adeptos 'leoninos' encapuzados invadiram a academia do clube, em Alcochete, e agrediram vários jogadores, bem como o então treinador, Jorge Jesus, e outros membros da equipa técnica.

Notícia em atualização

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de