"Não sinto obrigação de passar a bola ao Cristiano", garante João Félix

O avançado João Félix assegura que a "identidade" da equipa é a mesma, quer Ronaldo esteja em campo ou não.

A Seleção Nacional já habituou os adeptos a um carrossel de emoções, mas João Félix assegura: "Quando perdemos não está tudo mal e quando ganhamos não está tudo bem". Depois da goleada frente à Suíça, o certo é que a equipa terá "os pés bem assentes na terra" quando entrar em campo no sábado.

Questionado se com Cristiano Ronaldo no banco tem mais protagonismo, o avançado pergunta "se tem mesmo de responder" e critica os jornalistas: "Portugal está numa grande competição, já não estávamos nos quartos há muito tempo, não devíamos estar todos mais unidos e procurar não estragar o ambiente da seleção."

"Não sinto obrigação de ter de passar a bola ao Cristiano", assegura, lembrando que cada jogador faz o melhor em campo dentro das suas capacidades. Claro que com Cristiano Ronaldo em campo todos jogam "de maneira diferente", como acontece com qualquer outro jogador quando o onze muda, mas "não jogam melhor ou pior" por causa do capitão, reforça.

Isto depois de uma entrevista dada pelo internacional luso José Fonte, que considerou que os lusos jogam em equipa quando Ronaldo não está presente.

João Félix diz que "a tática é a mesma", com ou sem Ronaldo - "tem características que outros não têm e há jogadores que têm características que ele não tem", mas a "identidade e maneira de jogar" da equipa é sempre a mesma.

A seleção portuguesa de futebol realiza esta sexta-feira o último treino antes do jogo dos quartos de final do Mundial 2022. Portugal e Marrocos vão defrontar-se no sábado, a partir das 18h00 locais (15h00 em Lisboa), no Estádio Al Thumama, em Doha, com relato na TSF.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de