"Não vi nenhuma agressão" ao repórter. FC Porto recorre da suspensão de Sérgio Conceição

Em entrevista ao Porto Canal, o presidente do FC Porto volta a criticar a arbitragem de Hugo Miguel em Moreira de Cónegos.

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, revelou esta quarta-feira que vai recorrer da suspensão de 21 dias aplicado a Sérgio Conceição. Numa entrevista ao Porto Canal, o líder portista deixou críticas à arbitragem, revelando que Sérgio Conceição só reagiu ao cartão vermelho mostrado pelo árbitro.

"Eu estou indignado, como posso não estar indignado. O treinador castigado, os jogadores com processos... E o árbitro saiu-se a rir. E o VAR? Todos viram os penáltis e o que está sentado numa poltrona não viu nenhum dos devemos. O que devemos pensar?", disse o presidente dos azuis e brancos, queixando-se de três grandes penalidades não assinaladas no jogo com o Moreirense.

Nesta entrevista, Pinto da Costa explicou que depois do clube ser notificado dos castigos vai recorrer para o plenário do Conselho de Disciplina, referindo que já contactou o presidente da Federação Portuguesa de Futebol. O líder do FC Porto exige ter o mesmo tratamento na rapidez da resposta que teve o Sporting ao recurso que será apresentado nas próximas horas.

Depois dos incidentes no relvado do estádio do Moreirense, no exterior do recinto desportivo, um repórter de imagem da TVI foi agredido pelo empresário Pedro Pinho. No local, também estava Pinto da Costa. Sobre este incidente, o presidente do FC Porto refere "que não viu nenhuma agressão".

"Eu não vi nenhuma agressão nem vi ainda nenhuma imagem com Pedro Pinho a agredir seja quem for. Aquilo que eu vi foi Pedro Pinho a tapar e a tirar a máquina para não deixar filmar. Não estou a dizer que houve ou não houve. Ainda não vi foi uma imagem em que se veja Pedro Pinho a agredir aquele senhor", disse.

O caso suscitou reações a vários níveis, chegando ao poder político. "O ministro da Educação já falou, o secretário de Estado falou, o presidente do PSD, todos falaram. Há polícias agredidos e ninguém fala com este aparato", atirou.

Regressando ao campeonato, Pinto da Costa relembrou que "se tudo fosse normal" acreditava no título. Mas agora é mais díficil. "Não é normal um jogo em que ficam por marcar três penálts escandalosos, em que o VAR, o senhor António Nobrte, está numa poltrona e deixa passar os três penáltis. Isso é anormal", critica.

"Se eu pensasse que que este procedimento é normal, nesse dia deixava o futebol. Dizia que não concorremos, que vamos com os juniores e para entregarem o título a quem quisessem. Neste momento acredito menos no título. Porque não foi normal", lamentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de